14º Festival de Sevilha: “A Fábrica de Nada” venceu o “Giraldillo de Oro”

A Fábrica de Nada“, filme de Pedro Pinho, foi o grande vencedor da 14ª edição do Festival de Cinema Europeu de Sevilha. O júri internacional da Seleção Oficial, composto por Thomas Arslan, Agathe Bonitzer, Fernando Franco, Paolo Moretti e Valérie Delpierre, premiaram a produção nacional com o “Giraldillo de Oro”, o galardão máximo do festival.

“O documentário, a ficção e o musical convivem brilhantemente neste atrevido e futurista filme, que leva o espectador numa viajem visionária e dramaticamente realista, centrado na complexa situação económica contemporânea com uma abordagem anti-retórica, poética e profundamente original”, foi a descrição utilizada pela equipa de jurados.

Depois de ter feito a estreia no Festival de Cannes, no passado mês de maio, onde venceu o prémio da crítica, “A Fábrica de Nada” foi também distinguido em junho, em Munique, com o prémio Cinevision. Seguiram-se então outras distinções em vários festivais de cinema. Pedro Pinho irá receber o prémio na gala de encerramento que se realiza neste domingo à noite.

Ainda na principal secção do Festival, “Zama“, de Lucrécia Martel, uma coprodução da O Som e a Fúria, foi distinguida com a Menção Especial do Júri. O Grande Prémio do Júri foi atribuído a “Western”, um drama de Valeska Grisebach.

Os destaques individuais vão para Mathieu Amalric, vencedor do prémio de Melhor Realizador por “Barbara”, Selene Caramazza, considerada a Melhor Atriz (Corazón Puro) e Pio Amato, como Melhor Ator (A Ciambra).

O palmarés completo do 14º Festival de Sevilha é o seguinte:

GIRALDILLO DE ORO
– “A Fábrica de Nada”, de Pedro Pinho

GRANDE PRÉMIO DO JÚRI
– “Western”, de Valeska Grisebach

MENÇÃO ESPECIAL DO JÚRI
– “Zama”, de Lucrecia Martel

MELHOR REALIZADOR
– Mathieu Amalric, por “Barbara”

MELHOR ATRIZ
– Selene Caramazza, por “Corazón Puro”

MELHOR ATOR
– Pio Amato, por “A Ciambra”

MELHOR ARGUMENTO
– “A Violent Life”, de Thierry de Peretti

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
– Maria Von Hausswolff, por “Winter Brothers”

MELHOR FILME – SECÇÃO NUEVAS OLAS
– “Niñato”, de Adrián Orr

PRÉMIO ESPECIAL (ex aequo)
– “The Wild Boys”, de Bertrand Mandico
– “Pin Cushion”, de Deborah Haywood

PRÉMIO NÃO FICÇÃO
– “Distant Constellation”, de Shevaun Mizhari

MELHOR FILME – COMPETIÇÃO OFICIAL RESISTÊNCIAS
– “Ternura y la Tercera Persona”, de Pablo Llorca

PRÉMIO DELUXE
– “El Mar nos Mira de Lejos”, de Manuel Muñoz Rivas

PRÉMIO EUROPA JÚNIOR
– “El Malvado Zorro Feroz”, de Patrick Imbert e Benjamin Renner

PRÉMIO CINÉFILOS DO FUTURO
– “Just Charlie”, de Rebekah Fortune

GRANDE PRÉMIO DO PÚBLICO
– “Insyriated”, de Philippe Van Leeuw

PRÉMIO EURIMAGES – MELHOR COPRODUÇÃO EUROPEIA
– “L’intrusa”, de Leonardo di Costanzo

PRÉMIO ROSARIO VALPUESTA – MELHOR CURTA-METRAGEM PANORAMA ANDALUZ
– “El Mundanal Ruido”, de David Muñoz

PRÉMIO ESPECIAL ROSARIO VALPUESTA – CATEGORIA ARTÍSTICA (DIREÇÃO)
– “Ayer o Anteayer”, de Hugo Sanz Rodero

Artigos relacionados