“A Civil”: A coragem e a luta de uma mãe em busca da filha desaparecida

Chega na próxima quinta-feira, 14 de julho, aos cinemas portugueses, o drama “A Civil” (La Civil), a primeira longa-metragem de ficção da cineasta romena Teodora Mihai, um filme que, no final da primeira projeção no Festival de Cannes 2021, na secção “Un Certain Regard”, foi ovacionado pelo público durante oito minutos e foi distinguido com o Prémio da Coragem.

Com uma história comovedora, crua e realista, que ganha peso e dimensão com a extraordinária interpretação de Arcelia Ramírez, o filme dá voz às milhares de mulheres mexicanas que empreendem sozinhas a busca pelos seus filhos desaparecidos.

Esta obra de ficção de Mihai, surge dos testemunhos reais que a cineasta obteve de Miriam Rodríguez, uma mulher de Tamaulipas, cuja filha foi raptada e que, sozinha, conseguiu levar à prisão vários dos seus raptores, até ser assassinada em 10 de Maio de 2017, à porta de sua casa. O filme foi rodado em Durango (México), durante os tempos de pandemia.

No filme, Cielo (Ramírez) é uma recriação livre de Miriam, cuja filha adolescente Laura é raptada por um cartel de drogas no norte do México. Apesar do pagamento de vários resgates, Laura nunca é libertada, tornando-se num mistério e motivo da angústia de Cielo.

Quando as autoridades locais não mostram grande disponibilidade para ajudar, Cielo não encontra outra alternativa senão passar de uma modesta dona de casa para uma militante determinada em encontrar a filha e a fazer justiça pelas próprias mãos. E o amor que lhe tem, somado à angústia pelo seu desaparecimento, depressa se transforma em obsessão.

Assista ao trailer legendado de “A Civil”, filme distribuído em Portugal pela Legendmain Filmes.

Artigos relacionados