“A Night of Knowing Nothing”: Filme da cineasta indiana Payal Kapadia venceu a 15ª edição do LEFFEST

Filme da cineasta indiana Payal Kapadia venceu o LEFFEST 2021

O filme “A Night of Knowing Nothing“, da cineasta indiana Payal Kapadia, foi o grande vencedor da 15ª edição do LEFFEST – Lisbon & Sintra Film Festival. A anúncio foi feito durante a cerimónia de encerramento do festival, que teve lugar no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, no passado sábado (20).

Vencedor do Prémio Oeil d’Or (Prémio de Documentário) na Quinzena dos Realizadores em Cannes, “A Night of Knowing Nothing” é descrito como um filme epistolar que segue L, uma estudante do Instituto de Cinema e Televisão da Índia, troca cartas com K., o seu namorado, que a irá abandonar por exigência da família, porque ela pertence a uma casta inferior.

Segundo a organização, trata-se também de um manifesto e de uma obra em defesa do cinema, “de um cinema livre, que vibra de mágoa e de cólera, dando-nos conta do que está a acontecer hoje na Índia, cruzando realidade com ficção, sonhos, memórias, fantasias e ansiedades.”

O júri composto pelo escritor e Prémio Nobel da Literatura, J.M. Coetzee, pelo realizador Emir Kusturica, pela actriz Dolores Chaplin, pela realizadora Maria Speth e pela poeta Ana Luísa Amaral, atribuiu ainda o Grande Prémio do Júri João Bénard da Costa ao filme “La Caja“, do realizador venezuelano Lorenzo Vigas, sobre um jovem mexicano que viaja para recolher os restos mortais do pai, encontrado numa vala comum na paisagem deserta do norte do México.

Além dos dois filmes, que foram exibidos novamente na noite deste domingo (21), também foram anunciadas os vencedores das menções especiais do júri, atribuídas nas nas categorias de interpretação, argumento e fotografia.

A atriz Swamy Rotolo, pelo seu papel em “A Chiara”, de Jonas Carpignano, e o ator Samet Yildiz, pela sua atuação em “Brother’s Keeper”, de Ferit Karahan, foram distinguidos na área da interpretação. Paula Markovitch e Lorenzo Vigas, por “La Caja”, destacou-se na categoria de argumento, enquanto que na fotografia, a distinção foi para Douglas Seok, por “White Building”, de Kavich Neang.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *