“Alcarràs” da espanhola Carla Simón venceu o Urso de Ouro no Festival de Berlim 2022

O júri internacional presidido pelo realizador M. Night Shyamalan, atribuiu o Urso de Ouro da competição internacional da 72ª edição do Festival de Cinema de Berlim ao drama “Alcarràs“, da cineasta espanhola Carla Simón.

“Alcarràs” é a segunda longa-metragem da realizadora, que fez sucesso em 2017 com o seu filme de estreia, “Verão 1993“. Segundo a própria cineasta, este seu último trabalho é “uma história sobre pertencer a uma terra, a um lugar. Um drama sobre tensões geracionais perpétuas, a superação de tradições antigas e a importância da união familiar em tempos de crise.”

O filme decorre em na cidade catalã de Alcarràs e conta a história da família Solé, que após 80 anos a cultivar as terras de um família abastada, os Pinyol, reúne-se para fazer a sua última colheita juntos, pois o herdeiro dos Pinyol quer arrancar os pessegueiros para instalar painéis solares, o que deixa os Solé, e em especial o patriarca da família, Quimet, perante o dilema de se adaptar ou ir embora.

A última vez que um filme espanhol ganhou o prémio mais importante da Berlinale foi em 1983, quando Mario Camus ganhou com “La Colmena”, um prémio recebido ex aequo com o britânico “Ascendancy”, de Edward Bennett”. No entanto, dois anos antes, em 1981, Carlos Saura por “Deprisa, Deprisa”, conquistou o último Urso de Ouro 100% espanhol.

Do palmarés do festival, que decorre até ao próximo domingo (20), e que foi anunciado ao fim da tarde desta quarta-feira (16), também fazem parte “The Novelist’s Film“, do sul-coreano Hong Sangsoo, distinguido com o Urso de Prata do Grande Prémio do Júri, e “Robe of Gems“, da boliviana Natalia Lopez Gallardo, que recebeu o Urso de Prata do Prémio do Júri para a primeira obra, considerada uma história surpreendentemente perturbadora.

O Urso de Prata de Melhor Realização foi atribuído à francesa Claire Denis por “Avec Amour et Acharnement” e a estatueta de Melhor Argumento foi parar as mãos da alemã Laila Stieler por “Rabiye Kurnaz Gegen George W. Bush”, filme que deu à atriz Meltem Kaptan o prémio de melhor interpretação. Nas atuações secundárias foi distinguida Laura Basuki, por “Nana”.

A vencedora do Urso de Ouro Honorário foi A atriz francesa Isabelle Huppert, para celebrar a sua notável carreira. A entrega deste prémio aconteceu no dia 15 de fevereiro em Berlim, mas devido a um teste positivo de Covid-19, Huppert não pode comparecer.

PALMARÉS DA COMPETIÇÃO INTERNACIONAL

URSO DE OURO MELHOR FILME: “Alcarràs”, Carla Simón

URSO DE PRATA GRANDE PRÉMIO DO JÚRI: “The Novelist’s Film”, de Hong Sangsoo

URSO DE PRATA PRÉMIO DO JÚRI: “Robe of Gem”, de Natalia Lopez Gallardo

URSO DE PRATA MELHOR REALIZAÇÃO: Claire Denis por “Avec Amour et Acharnement”

URSO DE PRATA MELHOR ATOR/ATRIZ: Meltem Kaptan por “Rabiye Kurnaz Gegen George W. Bush”

URSO DE PRATA MELHOR ATOR/ATRIZ SECUNDÁRIO: Laura Basuki por “Nana”

URSO DE PRATA MELHOR ARGUMENTO: Laila Stieler por “Rabiye Kurnaz Gegen George W. Bush”

URSO DE PRATA MELHOR CONTRIBUIÇÃO ARTÍSTICA: “Everything Will Be OK”, de Rithy Panh

MENÇÃO HONROSA: “Drii Winter”, de Michael Koch

Artigos relacionados