Arranca hoje a 29ª edição do Curtas Vila do Conde. 16 a 25 de julho

Festival Curtas Vila do Conde 2021

Arranca este sexta-feira, dia 16 de julho, a 29ª edição do Curtas Vila do Conde, o Festival Internacional de Cinema que leva até à cidade do norte litoral um programa diversificado que cruzará o cinema, a música e as artes visuais, e que, devido às contingências da pandemia, decorre até ao dia 25 em formato misto, com sessões online e em sala, percorrendo vários espaços da cidade como o Teatro Municipal de Vila do Conde, o Auditório Municipal e a Solar – Galeria de Arte Cinemática.

A edição deste ano conta na programação com 236 filmes, que de acordo com a organização “volta a propor um olhar transversal sobre o cinema mundial, onde os filmes dilatam os tempos, expandem as temporalidades e declinam cronologias e efemérides”. Na abertura do festival, às 20:30h, é exibida a comédia de fantasia “Mandíbulas“, de Quentin Dupieux, em que uma mosca tem um lugar preponderante no filme.

Na Competição Nacional concorrem 17 produções Made in Portugal e que traz de volta ao Curtas realizadores como Ana Moreira, Ico Costa, Leonor Noivo, Eduardo Brito ou Paulo Patrício, e de outros que alcançaram já uma certa notoriedade, como Paolo Marinou-Blanco ou Filipe Melo, uma seleção de filmes que “criam uma rota pelo cinema contemporâneo português, através de tradições coletivas e histórias individuais, a ruralidade e suas paisagens, a família e a intimidade, com as tensões sociais aí implícitas e com abordagens que desafiam quaisquer constrangimentos normativos ou de género”.

Como em edições anteriores, a Competição Internacional reúne alguns dos nomes mais reconhecidos da curta-metragem a nível mundial e exibe simultaneamente obras de cineastas emergentes. Entre as 30 curtas-metragens a concurso encontram-se trabalhos de Bill Morrison, Virpi Suutari, Georges Schwizgebel, Guy Maddin ou a dupla Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, que regressam ao festival, bem como produções recentes de Zach Woods, Emily Wardill e Alice Rohrwacher.

O programa competitivo também inclui a Competição Experimental, a secção mais arrojada do festival a nível formal, composta por duas dezenas de filmes, incluindo vários filmes realizados por autores portugueses, a Competição Take One, com “estimulantes trabalhos realizados por estudantes de diversas instituições do ensino superior nacionais e internacionais”, o Curtinhas que apresenta no Teatro Municipal de Vila do Conde uma selecção de filmes que percorrem os universos e interesses de diferentes idades, o My Generation com sessões mais tardias na Solar, bem como a Competição de Vídeos Musicais, uma aposta nos espaços de cruzamento entre a sétima arte e a música.

Criada na edição de 2019, a secção Cinema Revisitado inclui um programa que “problematiza a meca do cinema no imaginário coletivo de sucessivas gerações”, intitulado por Hollywood Daydreams and Nightmares, em que serão exibidos filme como “Mulholland Drive”, de David Lynch, “O Crepúsculo dos Deuses”, de Billy Wilder, “Serenata à Chuva”, de Gene Kelly e Stanley Donen, “Cativos do Mal”, de Vincente Minnelli, e “Realité”, de Quentin Dupieux. O Curtas associa-se à celebração dos 60 anos de existência da “Semaine de la Critique” com o programa Sweet Sixty, que reúne filmes de Julia Ducournau, João Paulo Miranda Maria, Bruno de Almeida, Tsai-Ming Liang ou François Ozon.

Na secção Da Curta à Longa, a proposta passa pelo filme “Lutar, Lutar, Lutar”, de Helvécio Marins Jr. e Sérgio Borges, e por “Diários de Otsoga”, de Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes, o InFocus apresenta a obra da realizadora escocesa Lynne Ramsay, o New Voices, a mais recente secção não competitiva do Curtas Vila do Conde, mostra o que de melhor se faz no cinema contemporâneo de cineastas emergentes como a dupla iraniana Ali Asgari e Farnoosh Samadi, a realizadora grega Jacqueline Lentzou, e ainda o realizador português Jorge Jácome, e por fim a Solar – Galeria de Arte Cinemática apresenta uma exposição individual do realizador português Diogo Costa Amarante, que venceu o Urso de Ouro do Festival de Berlim em 2017.

A programação completa pode ser consultada no site oficial do Curtas Vila do Conde.

 

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *