As aventuras de Astérix vão ser contadas numa minissérie animada da Netflix

As aventuras de Astérix numa minissérie animada da Netflix

As aventuras do herói e guerreiro gaulês Astérix, o seu melhor amigo Obélix e restante companhia da clássica banda desenhada, cuja histórias já foram contadas em vários filmes de animação e de imagem real, terão pela primeira vez uma adaptação ao pequeno ecrã, uma minissérie animada da Netflix.

O novo projeto será produzido em parceria com a Les Editions Albert René, uma animação em 3D que está prevista ser lançada na plataforma de streaming em 2023, e que será realizada pelo autor e dramaturgo Alain Chabat, que escreveu e dirigiu “Astérix e Obélix: Missão Cleópatra” (2002).

As histórias que contam a saga do belicoso guerreiro e dos seus irreverentes companheiros de aldeia, que mantêm um pequeno canto da antiga Gália livre de invasores romanos, começaram a ser publicadas em 1961. Desde então já foram lançados 38 volumes em 111 idiomas e dialetos, e o 39º está previsto para chegar às livrarias ainda este ano.

A minissérie será inspirada em “Astérix e a Grande Luta”, de 1971, que foi adaptada numa longa-metragem de animação em 1989. Na história, os romanos, depois de serem constantemente humilhados pelos gauleses, organizam uma luta contra os rivais para lançarem a discórdia entre os gauleses, numa tentativa de raptarem o druida Panoramix e a célebre poção mágica.

“Sou franco-canadiana e, como a maioria dos francófonos ao redor do mundo, cresci com Astérix, o seu companheiro Obélix e o fiel companheiro Dogmatix. Assisti aos especiais animados e li os livros religiosamente. Se me tivessem dito aos 8 anos que um dia iria ajudar a a dar vida a estas personagens à vida, não iria acreditar”, confessou Dominique Bazay, diretora de animação da Netflix.

No blogue oficial da plataforma, Bazay refere ainda que que se trata de uma produção “para uma nova geração de telespectadores em todo o mundo” e que há anos tem tentado desenvolver este projeto, pela simples razão de achar que “o tom único do humor de Goscinny e Uderzo é atemporal. É por isso que Astérix é tão especial – atrai todas as idades e atravessa todas as fronteiras.”

Artigos relacionados