Canal Crime + Investigation estreia o documentário “Shipwreck Psycho”

CrimeI + nvestigation estreia o documentário Shipwreck Psycho

O canal Crime + Investigation estreia em exclusivo neste domingo, 19 de dezembro, pelas 22:30h, o fascinante documentário “Shipwreck Psycho“, uma história de crime verdadeira com 400 anos, passada numa remota ilha deserta, que parece saída de um filme de terror.

Tudo começou em 1628 quando quase 350 pessoas estavam a bordo do navio Batavia quando partiu dos Países Baixos e se dirigiu à então colónia holandesa de Jacarta, na Indonésia. Ao longo da viagem, saiu do curso e naufragou num recife de coral a 4 de junho de 1629. Muitos dos tripulantes e passageiros conseguiram chegar até à costa ocidental australiana.

O capitão Francisco Pelsaert percebeu rapidamente que não existia qualquer possibilidade de resgate imediato e embarcou numa jornada épica por mar aberto para tentar chegar a Jacarta, tendo sobrevivido à viagem de 33 dias. Três meses depois regressou para resgatar os sobreviventes. Mas o que descobriu à sua chegada foi nada menos que horrível: mais de 120 homens, mulheres, crianças e bebés tinham sido brutalmente assassinados.

Esta história de homicídio, desordem e loucura foi considerada pelos historiadores como o primeiro assassinato em massa da Austrália. Num cenário ao estilo de “O Deus das Moscas”, Jeronimus Cornelius, um simples boticário, torna-se o líder todo-poderoso criando um mundo de anarquia e violência dominado por jogos de poder, escravidão sexual, hedonismo e loucura em que os sobreviventes são colocados uns contra os outros, e abatidos de modo selvagem pela sua própria espécie.

Já se passaram quase 400 anos desde que o Batavia naufragou, e agora, uma equipa de cientistas forenses tem a missão de descobrir mais sobre o que aconteceu e, mais importante, por que razão aconteceu. Desenterrando esqueletos de vítimas, que graças à natureza do solo da ilha foram preservados em condições impressionantes, na caça às pistas, a sua viagem leva-os até onde tudo começou, aos Países Baixos, para entrarem na mente do assassino e colocarem a questão: ele era realmente um psicopata?

O amotinado e assassino Jeronimus Cornelisz é considerado um dos primeiros psicopatas documentados da história. Segundo relatos da época, também demonstrou outros traços psicopáticos, como não mostrar nenhum remorso quando foi julgado e condenado pelos assassinatos no naufrágio de Batávia. Foi condenado à morte por enforcamento – junto com sete dos seus homens. Antes do enforcamento, foram-lhe amputadas ambas as mãos.

Descubra esta fascinante e horrível história de mistério e assassinato no Crime + Investigation.

Artigos relacionados