Canal História estreia em exclusivo a nova série documental “Crimes da Antiguidade”

Canal Historia estreia a série documentalCrimes da Antiguidade

Aos sábados, a partir de 10 de julho, sempre às 22:15h, o Canal História transmite em exclusivo “Crimes da Antiguidade“, a nova série documental em que o espectador vai descobrir que o que até há muito pouco tempo era impossível, e que agora parece ter solução: a ciência pode solucionar crimes cometidos há milhares de anos.

“A criminalidade sempre acompanhou o Homem desde os primórdios. A história da Humanidade está recheada de relatos de fúria e ódio, ganância e sofrimento, morte e destruição. Nada nos permite aprofundar melhor os abismos negros de uma determinada época do que os homicídios e delitos nela perpetrados. No entanto, muitos crimes do passado continuam por resolver, pois nem os seus autores foram capturados nem foram encontradas provas contra eles”, diz o comunicado do canal.

Ao longo de cinco episódios, a série documental investiga crimes históricos do passado que ficaram esquecidos e não resolvidos há milhares de anos, trazendo uma nova luz sobre os mesmos, pois graças à ciência forense e à arqueologia experimental talvez seja muito possível resolvê-los de vez.

A série arranca esta noite com duplo episódio,começando com “Fé e Poder“, que investiga o misterioso assassínio em massa de crianças na Atenas Antiga, o grande incêndio de Roma, e a destruição fanática dos templos egípcios pelo faraó Akhenaton. Com a ajuda da ciência forense atual e da arqueologia experimental, “Crimes da Antiguidade” identifica os perpetradores.

Terá sido o crime em Atenas obra de cruéis assassinos de crianças? Terá o imperador Nero estado envolvido no grande incêndio de Roma? E terá a profanação dos santuários egípcios sido apenas manifestação da loucura de Akhenaton?

Pelas 22:55h tem início “Segredos dos Mortos”, um episódio sobre uma tenebrosa conspiração contra o faraó Ramsés III, o misterioso múltiplo homicídio de um druida celta cujo cadáver com dois mil anos foi descoberto numa charneca perto de Manchester, e o brutal assassínio de uma família do Neolítico, em Eulau, na Saxónia. Recorrendo a métodos científicos modernos e a experiências arqueológicas, uma equipa internacional de peritos tenta descobrir os perpetradores que outrora escaparam incólumes.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *