Canal História estreia este sábado a nova série “Al-Andaluz, O Legado”

Canal Historia estreia a serie Al-Andaluz, O Legado

O Canal História estreia em exclusivo este sábado, 24 de abril, às 22:15h, em episódio duplo, a sua nova produção original “Al-Andaluz, O Legado“, uma série que resgata a herança andaluza na Península Ibérica para ajudar-nos a entender melhor como funciona o mundo tal como o conhecemos hoje em dia.

Al-Andaluz foi durante séculos um grande foco de civilização graças à sua receção de conhecimentos do Oriente e às suas próprias contribuições. Marcou um antes e um depois na Península Ibérica, mas a sua cultura, costumes e influências não se extinguiram, ainda estão presentes.

Com esta premissa, a série, ao longo de seis horas, analisa as marcas incalculáveis deste período único na história da Península Ibérica, recuando ao passado para descobrir os seus estudiosos mais céleres, bem como a origem de conhecimentos, tecnologias, objetos e costumes que agora encontramos todos os dias e que devemos ao período andaluz. Uma herança rica, sem a qual, a história de Espanha e Portugal seria completamente diferente.

Através de um trabalho exaustivo de documentação e utilizando recriações e animações 3D, a série desvenda os segredos de Al-Andaluz. Um período de especial esplendor caracterizado pelo seu rico intercâmbio cultural de convivência na Europa entre o Oriente e o Ocidente, durante a Idade Média. O seu exemplo de coexistência entre muçulmanos, cristãos e judeus de forma civilizada e o florescimento de diferentes ciências e artes foi o berço de grandes estudiosos em disciplinas tão diversas como a arquitetura, agronomia, matemática, astronomia e medicina.

Episódio a episódio, “Al-Andaluz, O Legado” mostra como a Espanha andaluza utilizou a ciência e o conhecimento para unificar uma sociedade muito diversa e descobre génios comparáveis a Leonardo Da Vinci, o primeiro voo da humanidade, o desenvolvimento da cirurgia, as origens da nossa tecnologia moderna, as influências culinárias, bem como o grande legado arquitetónico, literário e artístico.

Além disso, a série documental expõe de uma forma nunca antes vista não só lugares emblemáticos como a Alhambra, Medina Azahara ou a Mesquita de Córdoba, mas também outras riquezas menos conhecidas que nos deixou este período como os moinhos de água, moinhos de papel, moinhos de vento, grandes noras de água, carruagens, jardins, sistemas de canalização entre outras.

Realizada integralmente durante a pandemia que envolveu um esforço de quase 60 dias de gravação durante três meses e centenas de horas de filmagens. Cada episódio aproxima-nos de um sábio andaluz através de recriações históricas com trajes de cada época especialmente concebidos e produzidos para o projeto.

Com um tratamento rigoroso e com a participação de mais de 80 especialistas, “Al-Andaluz, O Legado” leva o esperador a uma viagem épica de descoberta e curiosidade. Uma viagem ao nosso passado para compreender como o legado andaluz continua vivo.

A série será emitida semanalmente, sempre aos sábados e às 22:15h, em episódio duplo. Conheça as sinopses dos dois primeiros episódios:

22:15h – “Tecnologia e Engenharia Mecânica”

A sociedade do século XXI está cimentada, em grande parte, nos alicerces da engenharia e da tecnologia. O que muito poucos sabem é que a base de muitas invenções e engenhos que utilizamos diariamente já eram conhecidos há mais de 1000 anos no período Al-Andaluz. Neste episódio, descobriremos que os habitantes da Península Ibérica trouxeram do Oriente certas engenhocas como a nora ou a pólvora, um composto químico que mudou a guerra para sempre. Além disso, também desenvolveram mecanismos automáticos que continuam a influenciar a robótica dos nossos dias.

23:00h – “Medicina e Farmácia”

A medicina que conhecemos hoje em dia seria muito diferente sem o legado que herdámos de Al-Andaluz. Na Península Ibérica eram aplicados alguns conhecimentos médicos que continuam a surpreender dez séculos depois. Em plena Idade Média, comprovaremos que os andaluzes eram capazes de operar cataratas, sabiam como cauterizar hemorragias internas e até se atreviam a realizar intervenções no âmbito da cirurgia estética. Em farmacologia, os andaluzes também não ficaram atrás. No século XI, Ibn Wafid reuniu no seu Guia Médico mais de 900 receitas médicas que propunham tratamentos para uma série de doenças. A eficácia foi tal que muitos desses medicamentos ainda são prescritos hoje

Artigos relacionados