Cannes 2021: Divulgada a programação da 60ª edição da Semana da Crítica

Programa da Semana da Crítica Cannes 2021

Foi divulgada esta segunda-feira (7), a programação da 60ª edição da Semana da Crítica, evento paralelo ao Festival de Cannes organizado pelo Sindicato Francês dos Críticos de Cinema, que se realiza de 7 a 15 de julho.

Em competição pelo prémio máximo do evento, o Grande Prémio Nespresso, foram selecionados sete filmes, todos eles primeiras obras de cineastas, o que significa que também são elegíveis para a Câmara de Ouro, que premeia o melhor primeiro filme apresentado na Seleção Oficial, na Quinzena dos Realizadores ou na Semana da Crítica.

“Robuste”, comédia da francesa Constance Meyer com Gérard Depardieu a protagonista, tem as honras de abertura desta edição. Já o encerramento fica por conta de outra produção conduzida por uma mulher, “Une Histoire D’Amour Et De Désir”, da cineasta tunisina Leyla Bouzid.

Nas Sessões Especiais, destaque para “Une Jeune Fille Qui Va Bien”, filme que marca a estreia na realização de longas-metragens da atriz francesa Sandrine Kiberlain.

Cristian Mungiu, cineasta romeno e vencedor da Palma de Ouro, será o presidente do júri este ano, sendo acompanhado pela cantora e atriz Camélia Jordana, a produtora Didar Domehri, o consultor e produtor Michel Merkt, e Karel Och, diretor do Karlovy Vary International Film Festival e membro do FIPRESCI.

Vale a pena lembrar que em 2018, o vencedor da Semana da Crítica foi “Diamantino“, uma sátira surreal portuguesa, realizada por Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt.

Confira a programação completa da Semana da Crítica:

COMPETIÇÃO LONGAS-METRAGENS
– “Amparo”, de Simón Mesa Soto
– “Feathers”, de Omar El Zohairy
– “The Gravedigger’s Wife”, de Khadar Ayderus Ahmed
– “Libertad”, de Clara Roquet
– “Olga”, de Elie Grappe
– “Piccolo Corpo”, de Laura Samani
– “Rien à Foutre”, de Julie Lecoustre e Emmanuel Marre

COMPETIÇÃO CURTAS-METRAGENS
-“Brutalia, Days of Labour”, de Manolis Mavris
– “Lili, Toute Seule”, de Zou Jing
– “An Invitation”, de Hao Zhao e Yeung Tung
– “Inherent”, de Nicolai G.H. Johansen
– “Interfon 15”, de Andrei Epure
– “Ma Shelo Nishbar”, de Elinor Nechemya
– “Noir-soleil”, de Marie Larrivé
– “Safe”, de Ian Barling
– “Soldat Noir”, de Jimmy Laporal-Trésor
– “Über Wasser”, de Jela Hasler

SESSÕES ESPECIAIS
– “Robuste”, de Constance Meyer (Filme de Abertura)
– “Une Jeune Fille Qui Va Bien”, de Sandrine Kiberlain
– “Petite Nature”, de Samuel Theis
– “Bruno Reidal”, de Vincent Le Port

SESSÃO DO 60º ANIVERSÁRIO
– “Les Amours d’Anaïs”, de Charline Bourgeois-Tacquet

FILME DE ENCERRAMENTO
– “Une Histoire D’Amour Et De Désir”, de Leyla Bouzid

Artigos relacionados