Ciclo “Roman Porno”: 10 filmes inéditos do cinema japonês no cinema Nimas

Ciclo Roman Porno no cinema Nimas

Numa nova aposta do produtor Paulo Branco, a Leopardo Filmes leva ao cinema Nimas (com posterior exibição noutras salas do país), a partir de 18 junho, o ciclo “Roman Porno”, com 10 filmes inéditos do cinema japonês, em cópias restauradas, que os estúdios Nikkatsu criaram no início dos anos 70.

O género “Roman Poruno” ou “pornografia romântica”, que passou a fazer parte da cultura pop no Japão, acabaria por revelar verdadeiros “autores”, hoje indiscutíveis, como Tatsumi Kumashiro, Noburu Tanaka e Masaru Konuma.

A forte censura japonesa impunha várias restrições e os realizadores estavam proibidos de mostrar os órgãos genitais ou os pêlos púbicos, o que levou à utilização de estratégias originais. Mas, à parte estas regras, a liberdade artística era total e os realizadores podiam abordar os assuntos que quisessem, da forma que quisessem.

A contra-cultura japonesa encontrou no “Roman Porno” um terreno de experimentação inédito para os jovens realizadores com talento e que tinham vontade de correr riscos. Estes filmes afirmavam-se pela audácia dos assuntos que tocavam, exploravam sensações fortes, uma intensa pulsão erótica, uma sexualidade inquietante, por vezes crua e, ao mesmo tempo, surpreendiam com as suas invenções formais.

Os 10 filmes terão várias exibições ao longo de cinco semanas, em datas e horários diferentes. Na programação que apresentamos, indicamos apenas a data e horário da primeira exibição. Mais informações sobre o ciclo “Roman Porno” podem ser consultadas no site oficial da Medeia Filmes.

18/junho – 19:00h – “A Senhora de Karuizawa”, de Masaru Konuma

O romance proibido entre uma mulher casada, de classe alta, e um jovem estudante da classe trabalhadora que vai para Karuizawa, vila de férias da elite japonesa, em busca de um trabalho e de uma vida melhor. Uma homenagem à mulher que sofre e resiste, e uma narrativa que explora as desigualdades sociais no Japão e as barreiras entre classes.

20/junho – 19:00h – “Lírio Branco”, de Hideo Nakata

O drama lésbico é aqui reinventado através de um jogo de sedução e dominação de um erotismo perturbador, entre uma aprendiz de olaria e a sua professora, mestre, protectora e amante — “Eu não amo as mulheres, amo apenas a professora”. Apesar dos contornos perturbadores que resultam da entrada de novos personagens na sua dinâmica amorosa e profissional, esta é uma sublime história de amor sobre as dificuldades em ultrapassar uma paixão angustiante, e sobre a força e o crescimento pessoal necessários para isso.

25/junho – 19:00h – “Noites Felinas em Shinjuku”, de Noboru Tanaka

O espírito dos anos 70 no Japão é aqui representado com um olhar sensual e político através das vidas das mulheres prostitutas do bairro de Shinjuku, entre o trabalho, as saídas com as amigas, e as suas relações de amor e sedução.

26/junho – 19:00h – “O Alvorecer das Felinas”, de Kazuya Shiraishi

A vida de três escort girls que trabalham para o mesmo patrão no bairro de Ikebukuro, em Tóquio. Os seus passados são diversos e complexos, assim como as suas razões para trabalhar como acompanhantes, mas todas sentem profundamente a solidão da sua vida urbana. Uma sátira às dificuldades que as mulheres enfrentam na pobreza e aos problemas sociais do Japão.

2/julho – 19:00h – “Vísceras de Anjo: Red Porno”, de Toshiharu Ikeda

Adaptado de uma série manga, este filme faz do desejo erótico uma questão social, constantemente ameaçado, sufocado e traído, retratando um universo de dominação, de assédio, de violência erótica e social, através da história de uma jovem lojista que aceita posar para uma revista erótica, e que se vê enganada e chantageada, tornando-se vítima dos seus desejos e exigências sexuais.

3/julho – 19:00h – “Anti-Porno”, de Sono Sion

Um filme radicalmente belo, de uma forma controversa e anarquista, onde a procura de liberdade é o fio condutor. O filme desenrola-se como uma matriosca, revelando novas realidades dentro delas próprias, revertendo papéis e criando ilusões, onde a personagem principal é uma caprichosa e excêntrica estrela da J-pop,

9/julho – 19:00h – “Gymnopédies Escaldantes”, de Isao Yukisada

A história de um realizador de meia idade, pouco íntegro, que trai repetidamente a sua mulher, mas que, apesar de tudo, conquista a compaixão e o afecto de várias personagens. É considerado o título mais sentido, romântico e amargurado dos “Roman Porno”, uma dura reflexão sobre a criação, de um erotismo intenso.

9/julho – 19:00h – “O Êxtase da Rosa Negra”, de Tatsumi Kumashiro

Um filme que se tornou um grande clássico do cinema erótico japonês subversivo, e que narra a busca de um técnico de som de filmes eróticos pelo gemido perfeito que ouviu uma vez num consultório de dentista ? é “uma história de amor filmada secretamente”.

16/julho – 19:00h – “À Sombra das Jovens Raparigas Húmidas”, de Akihiko Shiota

Uma reflexão sobre a arte, o amor e o desejo, que narra a história de um jovem casal que se vê atraído para uma espiral de relações eróticas de enorme vitalidade e sensualidade.

16/julho – 19:00h – “Os Amantes Molhados”, de Tatsumi Kumashiro

A história de um jovem fugitivo dos Yakuza, que regressa à sua terra natal para trabalhar num cinema que projecta filmes eróticos, e que escapa ao aborrecimento ao cruzar-se com uma jovem de espírito livre com a qual desenvolve uma conturbada paixão.

 

 

Artigos relacionados