Cinema ibérico em destaque na IX edição do Festival Periferias

IX Festival Periferias 2021

A partir desta sexta-feira, dia 13 de agosto, tem início a IX edição do Periferias – Festival Internacional de Cinema de Marvão e Valência de Alcântara, que leva ao território da raia luso-espanhola um programação composta por cerca de três dezenas de filmes dedicado ao cinema ibérico.

Tal como em anos anteriores, o festival Periferias decorre no modelo de itinerância por aldeias e lugares emblemáticos da zona raiana entre Marvão e Valência de Alcântara (Espanha), numa viagem entre castelos, ruínas históricas de um passado romano, pontes medievais, antigas estações de comboio e remotos lugares de fronteira.

As localidades espanholas de Herrera e San Vicente de Alcântara, e a localidade fronteiriça portuguesa do Marco (Arronches) são os novos palcos desta edição, que se juntam a Marvão, Portagem, Beirã, Ammaia, Valência de Alcântara, Fontañera, Zarza la Mayor e Malpartida de Cáceres.

A abertura do festival tem lugar no Castelo de Marvão, com a apresentação do filme “Labirinto da Saudade”, centrado na obra homónima de Eduardo Lourenço, figura maior do pensamento português recentemente desaparecido. O encerramento acontece no Museu Vostell, em Malpartida de Cáceres, onde será exibido o documentário “António Machado, Los Días Azules”, de Laura Hojman, e anunciado o filme vencedor do prémio do público /Tajo-Tejo Internacional.

Ao longo de uma semana, serão exibidas um conjunto de obras na área da ficção e documentário, numa escolha que reflete a vontade de dar a conhecer algumas das tendências recentes da cinematografia ibérica, num programa que inclui cinema ao ar livre e em sala, encontros com realizadores, música, exposições, passeios pedestres e palestras. Online, através da plataforma Filmin, pode ser vista uma seleção de curtas metragens.

“Labirinto da Saudade” e “José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes, “Mar Infinito“, de Carlos Amaral, “O Movimento das Coisas”, de Manuela Serra, “Amor Fati“, de Cláudia Varejão, “Alma de um Ciclista”, de Nuno Tavares, e “Bossa Negra”, do realizador luso-brasileiro Rafael da Silva (Rafaê), são as obras de produção nacional em destaque na programação.

Entre as proposta do lado espanhol encontram-se os filmes, “My Mexican Bretzel”, de Nuria Giménez Lorang, “Bienvenidos a España”, de Juan Antonio Moreno Amador, “Destello Bravio”, de Ainhoa Rodríguez, “Meseta”, de Juan Palácios, “Limbo, La Promesa Olvidada” e “Los Mensajes Ocultos de Ganga”, de Antonio Rodrigo, e o já citado filme de Laura Hojman.

O festival Periferias é promovido pela Associação Cultural Periferias (Portugal) e Gato Pardo (Espanha). Mais informações disponíveis no site oficial, Facebook e Instagram.

Artigos relacionados