Cinemas vão receber sete filmes do realizador japonês Akira Kurosawa

Sete filmes do realizador japones Akira Kurosawa

A Leopardo Filmes continua o seu trabalho de divulgação do grande cinema japonês e dedica agora um ciclo especial a Akira Kurosawa, um dos grandes mestres do cinema nipónico, e aquele que mais contribuiu para o seu conhecimento e divulgação no Ocidente.

São 7 filmes do período de maior glória do cineasta, o das suas obras mais célebres, em cópias digitais restauradas, 5 deles inéditos comercialmente em sala em Portugal e que se estreiam agora no Cinema Medeia Nimas, em Lisboa, e no Teatro Campo Alegre, no Porto, a partir da próxima quinta-feira, 17 de setembro, com a exibição de “Os Sete Samurais“.

Seguem-se “Yojimbo, o Invencível“, a 24 de setembro, “Viver – Ikiru” (01 de outubro), “A Fortaleza Escondida” e “Dodeskaden” (08 de outubro), “O Barba Ruiva” e “O Trono de Sangue” (15 de outubro).

Para além do cinema Medeia Nimas, em Lisboa, e o Teatro Campo Alegre, no Porto, os filmes serão também exibidos no Auditório Charlot, em Setúbal, no Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra, no Theatro Circo de Braga e no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz, em datas a anunciar.

Estreia 17/setembro: “Os Sete Samurais” (1954)

No século XVI, exasperados com as incursões de grupos de bandidos, que lhes roubam as colheitas e as mulheres, um grupo de camponeses pede auxílio aos samurais. Seis guerreiros, chefiados por Kambei e pelo filho de um camponês, decidem defender os camponeses sem receber pagamento, apenas casa e comida, pois têm a convicção de cumprir um dever.

Estreia 24/setembro: “Yojimbo, o Invencível” (1961)

Uma pequena cidade a norte de Tóquio vive sob o domínio de dois grupos de bandidos: um deles protege os mercadores de seda, o outro os de saké. Um samurai mercenário, Sanjuro Kuwabatake, vende os seus serviços às duas quadrilhas e assiste à destruição recíproca dos inimigos. Porém, a chegada de Unosuke, irmão de um dos chefes rivais, munido de uma arma de fogo única em toda a região, vai endurecer o conflito. Fingindo aliar-se a Unosuke, Sanjuro Kuwabatake mata vários dos seus asseclas até ser finalmente descoberto e preso. Entretanto, a batalha final aproxima-se.

Estreia 1/Outubro: “Viver – Ikiru” (1952)

Kanji Watanabe, funcionário municipal é informado que tem um cancro e que só lhe restam três meses de vida. Reconhecendo o vazio que foi a sua vida, Watanabe empenha-se na transformação de um terreno baldio num parque onde as crianças possam brincar, um projecto ao qual destina todas as suas forças.

Estreia 8/Outubro: “A Fortaleza Escondida” (1958)

No século XVI, durante as guerras civis que assolam o Japão, uma princesa, a sua família, os seus guerreiros e o seu tesouro são perseguidos. A cabeça da princesa está a prémio. A princesa parte em busca de refúgio com um general, dois camponeses que este capturara, e o tesouro. Para chegar a uma região segura, o grupo deve atravessar território inimigo

Estreia 8/Outubro: “Dodeskaden” (1970)

O filme consiste em diversos episódios da vida dos habitantes de um pequeno bairro de lata: bebedeiras, sonhos, depressões, casos de adultério, a luta pela vida de todos os dias. Um rapaz conduz um comboio imaginário, um outro, que procura comida nos caixotes de lixo dos restaurantes, sonha em encontrar o pai, uma rapariga faz flores artificiais para sustentar o avô alcoólico. O “chefe” informal do grupo é o velho Tamba, um velho artesão, capaz de tudo perceber e de tudo perdoar.

Estreia 15/Outubro: “O Barba Ruiva” (1965)

Inícios do século XIX. Após estudar medicina durante vários anos em Nagasaki, o jovem Naburo Yasumoto regressa a Edo com a esperança de ser nomeado para a equipa médica da Corte. Apanhado de surpresa ao ser nomeado para uma clínica pública, Yasumoto desrespeita deliberadamente as regras do hospital. Aos poucos, porém, o jovem começa a respeitar o chefe da clínica, Barba Ruiva, um homem íntegro, que vê em cada doente “uma desgraça da vida”. Quando Otoyo, uma adolescente condenada à prostituição, adoece física e moralmente e procura os cuidados da clínica, o Barba Ruiva encarrega Yasumoto de curá-la.

Estreia 15/Outubro: “O Trono de Sangue” (1957)

O general Washizu e o general Miki perdem-se na floresta e encontram uma bruxa, que prevê que Washizu será rei e que será sucedido pelos herdeiros de Miki. É então que Washizu mata o seu senhor, Kuniharu Tsuzuki, e Miki. A bruxa prevê agora que ele estará a salvo enquanto a floresta não se puser em movimento. Mas o filho de Miki ataca o castelo de Washizu, usando as árvores da floresta como camuflagem. O filho de Washizu nasce morto, a sua mulher enlouquece e ele é traído pelos seus homens.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *