Conheça os 10 melhores filmes de 2021 segundo a Cahiers du Cinéma

Melhores filmes de 2021 segundo a Cahiers du Cinema

Como acontece habitualmente, a prestigiosa publicação francesa Cahiers du Cinéma, anunciou um top daqueles que, na sua opinião, são os 10 melhores filmes que estrearam em França este ano. Para a redação da revista, “First Cow – A Primeira Vaca da América“, foi o melhor Filme de 2021.

Distribuído pela Films4You e estreado nos cinemas nacionais no passado mês de julho, o filme da premiada realizadora Kelly Reichardt (Certain Women) é uma emocionante e gloriosa história de amizade e pequenos crimes no Velho Oeste protagonizada por John Magaro, no papel de um cozinheiro solitário e habilidoso que viaja para o Oregon e junta-se a um grupo de caçadores de peles, onde conhece um imigrante chinês (Orion Lee) que, tal como ele, procura criar a sua fortuna. Rapidamente colaboram num perigoso negócio que envolve roubar o leite de uma premiada vaca local, a primeira e única em todo o território.

No segundo lugar da lista divulgada nas redes sociais, aparece “Annette“, do realizador francês Leos Carax, já estreado em Portugal, seguido por “Memoria“, do cineasta tailandês Apichatpong Weerasethakul, que a Midas Filmes vai estrear numa data de 2022. O top 5 fica completo com “Drive My Car“, de Ryusuke Hamaguchi, candidato pelo Japão aos Óscares, e “France“, de Bruno Dumont, já exibido nos cinemas nacionais.

Da lista também fazem parte outros filmes que ainda estão em cartaz nos cinemas portugueses como é o caso de “Crónicas de França do Liberty, Kansas Evening Sun“, de Wes Anderson (6º lugar do top), “The Card Cont – O Jogador“, de Paul Schrader (9º) e o filme que estreia esta semana, “Benedetta“, de Paul Verhoeven (10º). Sem qualquer previsão de estreia, encontram-se “À l’abordage“, de Guillaume Brac (7º) e “Das Mädchen und die Spinne” (La Jeune Fille et l’araignée), de Ramon e Silvan Zürcher (8º).

Fundada na década de 50 por Jacques Doniol-Valcroze, André Bazin e Lo Duca, a revista francesa Cahiers du Cinéma, tem sido um bastião para a crítica internacional do cinema de qualidade, uma publicação que ao longo dos anos contou com a colaboração de nomes como Jacques Rivette, Jean-Luc Godard, Claude Chabrol ou François Truffaut.

Artigos relacionados