David Ayer já não vai dirigir a nova versão de ‘Scarface’

Depois de Antoine Fuqua ter abandonado a realização da nova versão de ‘Scarface’, a Universal Pictures acaba de perder também o seu substituto, David Ayer (Esquadrão Suicida), que invocou conflitos de agenda para a sua decisão, para se dedicar a ‘Bright’, o filme original da Netflix e a ‘Gotham City Sirens’, filme com as personagens femininas mais populares da DC Comics.

Mas de acordo com o The Hollywood Reporter, o motivo é outro. O estúdio não gostou da abordagem “demasiada sombria” do argumento, escrito pelos irmãos Ethan e Joel Coen, baseado no original de Terence Winter.

A Universal continua assim a ter dificuldades em encontrar definitivamente um realizador para o remake. Além dos dois citados, Pablo Larraín, David MacKenzie e Peter Berg já circularam pelo projeto. A única certeza é que o filme irá ser protagonizado pelo ator mexicano Diego Luna (Rogue One: Uma História de Star Wars).

Esta é a terceira adaptação ao cinema do livro de Armitage Trail, fortemente inspirado na vida real do gangster Al Capone, cujo apelido era “Scarface”. Desta vez, a história terá segmentos diferentes dos anteriores e vai ser atualizada para a Los Angeles dos dias de hoje, abordando o submundo do crime originado pelos imigrantes nos EUA.

O clássico criminal foi levado pela primeira vez ao grande ecrã em 1932, ‘Scarface, o Homem da Cicatriz’, com Paul Muni no papel principal. Em 1983, Brian De Palma realizou ‘Scarface – A Força do Poder’, uma versão mais moderna, com Al Pacino a interpretar Tony Montana.

O lançamento nos cinemas está marcado para o dia 10 de agosto de 2018.

Artigos relacionados