“Dead Reckoning”: Estreia a 1 de setembro no ID – Investigation Discovery

Investigation Discovery estreia Dead Reckoning

O ID – Investigation Discovery, o canal de crime-real exclusivo da NOS (posição 74), estreia no primeiro dia de setembro, às 22:00h, a série “Dead Reckoning“, um programa que acompanha a resolução de alguns dos homicídios mais difíceis dos EUA.

Resolver um crime é como juntar as peças de um enorme quebra-cabeças. Às vezes, as peças até encaixam com facilidade. Mas, outras vezes, nenhuma delas parece encaixar e, nestes casos, a polícia pode não considerar todas as pistas disponíveis, ou saber se faltam algumas das mais importantes.

Esta perturbadora série relata algumas das investigações criminais mais difíceis da América. Para apurar a verdade acerca destes casos envolvidos em mistério, a polícia tem de reconstruir de forma metódica e meticulosa o que aconteceu.

A investigação procura reconstruir a vida da vítima, analisando todas as pistas que esta deixou para trás, desde mensagens ocultas deixadas no Facebook, históricos de pesquisa no Google, até talões de recibos deitados fora. E, desde relações virtuais mantidas em segredo até rivalidades amargas, há sempre uma história que se esconde por detrás destes trágicos crimes: a tal peça que falta no quebra-cabeças. Quando todas as pistas estiverem reunidas, os detetives têm de saber como é que todas encaixam no caso, desvendar o mistério e fazer justiça à vítima.

No episódio de estreia, intitulado “Online Secrets”, conhecemos em detalhe o caso de um duplo homicídio em Charlottesville, Virginia. A 5 de dezembro de 2014, os bombeiros são chamados a apagar um fogo numa vivenda de um bairro pacato dos subúrbios. Após apagarem as chamas fazem uma descoberta macabra. Na cave da casa encontram os corpos de Robin Aldridge, professora de 58 anos, e da filha, Mani, de apenas 17 anos. Ambas tinham sido brutalmente espancadas e esfaqueadas.

As autoridades locais rapidamente iniciam uma investigação para resolver o caso. Quem poderia querer matar estas mulheres? E porque foram elas assassinadas com tanta violência. Haveria uma ligação pessoal ao assassino? Poderiam as vítimas levar uma vida dupla no mundo virtual? E o que papel terá a música rap na resolução do caso?

Artigos relacionados