Derek Kolstad está a escrever uma sequela do thriller de ação “Ninguém”

Derek Kolstad esta a escrever uma sequela do filme Ninguém

Lançado nos EUA em março deste ano, o thriller de ação “Ninguém” (Nobody) foi uma das boas surpresas deste ano. Apesar da estreia a meio de uma pandemia, o filme, produzido com um orçamento a rondar os 16 milhões de dólares, arrecadou até à data cerca de US$ 62 milhões, ocupando o 11º lugar das mais bem sucedidas estreias nos cinemas norte-americanos em 2021.

E ao que tudo indica, as receitas obtidas, apesar de não serem fenomenais, são suficientes para avançar com um segundo filme. Numa entrevista ao site Joblo,o realizador Ilya Naishulle confirmou que Derek Kolstad, que escreveu o filme original, já está a trabalhar no guião de uma sequela.

“Há muitas histórias que podem ser contadas neste mundo, com o personagem Hutch. Eu sei que Derek já começou a trabalhar na sequela”, disse Naishulle, que fez questão de esclarecer que ainda não tem luz verde para avançar com o projeto, realçando que o sucesso comercial e da crítica (84% no Rotten Tomatoes) podem ajudar a que a sequela seja uma realidade.

Bob Odenkirk protagoniza o filme no papel de Hutch Mansell, um pai e marido negligenciado, que tudo aceita, sem nunca reclamar. Ele não é ninguém. Numa noite, dois ladrões invadem a casa de Hutch e este recusa defender-se a si e à sua família, na esperança de evitar uma escalada de violência. O filho adolescente, Blake (Gage Munroe), fica desiludido com o pai e a sua mulher, Becca (Connie Nielsen), parece afastar-se cada vez mais dele.

Após o assalto, a fúria de Hutch desencadeia instintos adormecidos, levando-o por um caminho que irá trazer à tona segredos mais sombrios e capacidades mortíferas. Num cenário de luta, armas e derrapagens, Hutch tem de salvar a sua família de um perigoso adversário (Aleksey Serebryakov) e garantir que nunca mais será subestimado

Naishuller acrecentou ainda que Derek Kolstad está com grandes ideias para a continuação da trama, e que gostaria que a personagem de Connie Nielsen tivesse uma participação mais ativa na nova história.

Se ainda não viu o filme, assista ao trailer legendado em português:

Artigos relacionados