Descubra a programação completa da 6ª edição do IndieJúnior Porto

Numa conferência de imprensa realizada esta manhã, a organização do IndieJúnior Porto – Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil, anunciou o programa completo da 6ª edição do festival, que vai decorrer entre os dias 25 a 30 de janeiro, percorrendo espaços como o Teatro Rivoli, Biblioteca Municipal Almeida Garrett, a Casa das Artes, o Maus Hábitos e a Reitoria da Universidade do Porto, e espalhando o cinema pela cidade do Porto.

Ao longo de 5 dias, o festival transita pelo mundo da magia e da descoberta que é o cinema, enchendo as telas de cor e em que os olhos dos mais novos vibrarão com as emoções do grande ecrã. Nesta edição o cinema é para todos, dos mais novos a toda a família, onde “a hospitalidade, o civismo e a natureza” ocupam um lugar central na programação desta edição.

O festival arranca já no próximo dia 15 de janeiro, com o Warm Up, a realizar-se na Reitoria da Universidade do Porto, às 11:00h. Para esta pré-abertura, os filmes escolhidos são “A Bruxa e o Bebé”, “A Linha”, “Avós Natal”, “Hugo e o Holger”, “Os Sete Cabritinhos” e ainda “O Pequeno Barco que Queria Voar”.

A competição de curtas-metragens, integra um conjunto com mais de 40 pequenos filmes agrupados por temas: “Cores da Natureza“, para crianças do pré-escolar, maiores de 3 anos, “Olhares Sobre o Mundo” (+3 toda a família), “Ficar ou Partir” (+6), “Pontes e Fronteiras” (+8), “Amizades nas Diferenças” (+10) , “Naturezas Específicas” (+12), e “Transições” (+15 anos).

A Travessia

Já na competição de longas-metragens participam dois filmes com “histórias emocionantes de famílias”: “A Traviata, os Meus Irmãos e Eu“, em que quatro irmãos cuidam da mãe em coma, e “A Travessia“, no qual dois irmãos sobrevivem a desafios incríveis antes de chegarem a um novo mundo, finalmente livre.

A organização dá destaque ao filme “Boa Viagem“, de Fabio Friedli, uma pequena animação que retrata as crueldades e dificuldades das travessias de pessoas que procuram uma nova vida noutro país distante, que servira de ponto de partida para uma conversa com convidados, entre eles o Fuse (Nuno Teixeira, dos Dealema), com a intenção de chegar a respostas sobre como é que a comunidade pode participar na sua inclusão.

Da programação também consta o “Cinema de Colo“, um cinema para bebés, bem como “Cinema à Mesa“, que retorna pelo segundo ano consecutivo ao Maus Hábitos, sob o tema “Dois passos para se tornar adulto”, uma programação de quatro curtas-metragens que prometem trazer à mesa assuntos para reflexão e discussão.

E como é habitual não vão faltar oficinas para todos nas atividades paralelas. Na oficina “Quero Animar!” vai ser possível aprender a criar as primeiras animações com a construção de um Flipbook com a realizadora Leonor Faria Henriques, assim como, na oficina “Meia Dúzia de Ovos – Uma Produção Independente“, vão poder criar objetos analógicos (flipbooks) e digitais (GIF) que comuniquem ideias relacionadas com a biodiversidade.

Já na “O Peixe Palhaço e a Barracuda“, os participantes são convidados a desempenhar o papel do engraçado peixe-palhaço ou da esfomeada barracuda, enquanto que, na “Novo Normal” será possível celebrar todo o espectro da diversidade da vida e desconstruir o que é ou não normal.

Destaque ainda para uma conferência com a realizadora de animação Joana Toste, que se realiza no dia 28 de janeiro, pelas 18:00h, na Casa Comum, em que irá partilhar a sua experiência profissional sobre a criação de cinema e animação para os que quiserem descobrir mais deste universo.

Para fechar mais uma edição deste festival, o Grande Auditório do Teatro Rivoli recebe no dia 30 de janeiro, às 16:15h, o cine-concerto “Quando o Cinema Nasceu“, com a exibição de alguns dos filmes mais divertidos da história do cinema e descobrir nomes do cinema mudo que tantas gargalhadas nos arrancam ainda hoje, mais de 100 anos depois. Com a sua viola d’arco, José Valente acompanhará as obras primas do cinema projetadas e revelará a sua identidade como músico irreverente, virtuoso e contemporâneo. Antes do cine-concerto, serão anunciados os grandes premiados da edição 2022.

E como se comprova, esta edição do IndieJúnior Porto conta com um programa diverso para desfrutar em família (e na escola). A venda de bilhetes já está disponível na Bilheteira do Teatro Rivoli e na BOL – Bilheteira Online. Na Casa das Artes, a partir do primeiro dia do festival, 30 minutos antes do início da sessão e com reservas em indiejunior.com/casadasartes.

Para mais informações consulte o site oficial do IndieJúnior Porto – Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *