Disney pode estar a desenvolver remake live-action de “Taran e o Caldeirão Mágico”

Remake live-action de Taran e o Caldeirao Magico

Segundo um novo relatório divulgado por Daniel Richtman, um jornalista conhecido por trazer informações precisas sobre novos projetos, a Disney pode estar a desenvolver mais uma adaptação live-action de um dos seus clássicos de animação.

Ao que parece, o estúdio planeia um regresso a Prydain com o remake de “Taran e o Caldeirão Mágico” (The Black Cauldron). Os detalhes sobre o projeto ainda são poucos, pois está nos estágios iniciais de desenvolvimento, E Também não se sabe se será no formato de série ou longa-metragem, nem se será um lançamento para os cinemas ou para a Disney+.

Realizado em 1985 por Ted Berman e Richard Rich, foi o primeiro filme de animação da Disney a apresentar gráficos gerados por computador e, na época, o mais caro da do estúdio. Produzido com um orçamento estimado entre US$ 22 e US$ 44 milhões, foi um fracasso comercial, arrecadando nas bilheteiras dos EUA apenas US$ 21,3 milhões.

A história é baseado no livro vencedor do prémio Newberry Honor, “O Caldeirão Mágico”, de Lloyd Alexander, que faz parte da série de cinco romances de fantasia para crianças “Crónicas de Prydain”, publicados entre 1964 e 1968, que seguem o protagonista Taran desde a juventude até a maturidade.

A animação original leva-nos até à Idade Média, na fictícia terra de Prydain, e narra a saga heróica de Taran, um jovem cuidador de porcos, que sonha em tornar-se um grande guerreiro, e da sua luta contra o malvado rei Chiffres. Num lendário reino, o espírito de um rei cruel tomou a forma de um Caldeirão Mágico. Durante séculos, homens cruéis o procuraram, sabendo que quem o possuísse teria o poder de levantar um exército de guerreiros imortais e assim dominar o mundo.

Dallben, o mentor de Taran, revela que o porquinho Vai-Vem é o único que sabe a localização do Caldeirão e pede a Taran que o esconda na Floresta Perdida antes que seja tarde. Na sua jornada, Taran conta ainda com a preciosa ajuda de algumas personagens muito características como: a Princesa, uma criatura peluda chamada Gurki, um trovador chamado Flores Flama, o porquinho clarividente Vem-Vem e um trio de excêntricas bruxas chamadas Orwen, Orgoch e Ordu.

A acontecer, será provavelmente mais um projeto para encher os cofres da Disney, que tem obtido enorme sucesso comercial com os seus remakes live-action, como comprovam os recentes “O Rei Leão“, “Aladdin” ou sob um ponto de vista totalmente distinto, a história de “A Bela Adormecida”, com “Maléfica” e a sequela “Maléfica: Mestre Do Mal“.

Artigos relacionados