Equipa do filme ‘Aquarius’ protesta contra a impugnação de Dilma Roussef

aquarius_sonia-braga-cannes

A equipa de ‘Aquarius’, filme brasileiro que está em competição pela Palma de Ouro, no Festival de Cannes, aproveitou esta mediática exposição para protestar contra a situação política do Brasil, nomeadamente o “impecheament” da presidente brasileira Dilma Roussef, que levou a subida ao poder de Michel Temer.

Antes da estreia, membros do elenco liderados por Sónia Braga e o realizador do filme, Kleber Mendonça Filho, empunhavam e exibiam cartazes com várias mensagens, contra ao que chamaram de um golpe de estado no Brasil.

Escritos em francês e inglês, os cartazes apresentavam slogans como: “Um golpe de estado está a decorrer no Brasil”, “Resistiremos” e “O Brasil não é mais uma democracia”.

‘Aquarius’ apresenta a história de Clara (Braga), uma mulher que resiste às pressões de agentes imobiliários, para abandonar o seu apartamento no Recife, no estado brasileiro de Pernanbuco. Quando a empresa decide demolir o prédio, a viúva de 65 anos jurou que só após a sua morte é que is deixar a sua casa.

Artigos relacionados