Está a chegar mais uma edição do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema

Programa do festival de cinema IndieLisboa 2019

Está prestes a arrancar mais uma edição do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema, que de 2 a 12 de maio vai percorrer vários espaços da capital, entre os quais o Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, com uma programação diversa que inclui mais de duas centenas e meia de filmes.

Na sessão de abertura da 16ª. edição será apresentado o mais recente trabalho de Harmony Korine, a comédia “The Beach Bum: A Vida Numa Boa“, protagonizada por Matthew McConaughe e a de encerramento estará a cargo de “Sinónimos“, um drama do realizador israelita Nadav Lapid, vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim 2019.

Tal com nas edições anteriores, a organização dá especial destaque ao cinema português, numa programação que inclui 51 filmes portugueses (15 longas e 36 curtas-metragens), 23 das quais integram a competição nacional (17 curtas e 6 longas-metragens). A produção nacional marca também presença nas sessões especiais, com a estreia nacional de “Hotel Império”, do realizador Ivo Ferreira.

Outro dos pontos altos do festival é a Competição Internacional, este ano composta por 10 longas e 32 curtas-metragens, mas também a secção Herói Independente que destaca a a cinematografia brasileira atual, bem como um ciclo retrospetivo à ícone da nouvelle vague francesa, Anna Karina, que marcará presença no festival para apresentar alguns dos seus filmes e encontros com o público. Jonathan Vinel e Caroline Poggi serão o foco da secção Silvestre.

Outra área em principal destaque é o IndieJúnior, uma secção do IndieLisboa dedicada aos mais novos e que visa contribuir para a formação estético-cultural das crianças e jovens através de uma experiência artística e lúdica, sendo constituída essencialmente por sessões de cinema que incluem filmes de todo o mundo, com duas vertentes: o IndieJúnior Famílias e o IndieJúnior Escolas.

Além das sessões de cinema, o IndieLisboa 2019 conta com um conjunto de atividades paralelas que, como habitualmente, enriquecem o festival e o tornam um espaço de partilha, discussão de ideias, descoberta e de festa, algumas destinadas a profissionais e outras abertas ao público em geral como as LisbonTalks, debates e masterclasses, festas e concertos, ou o IndiebyNight, cujas informações mais detalhadas podem ser consultadas no site oficial.

Confira a programação completa das principais secções da 16ª. edição do IndieLisboa:

COMPETIÇÃO NACIONAL (LONGAS-METRAGENS)
– “Alva”, de Ico Costa, Portugal/França/Argentina, fic., 2019, 98’
– “Campo”, de Tiago Hespanha, Portugal, doc., 2019, 100’
– “Mar”, de Margarida Gil, Portugal, fic., 2018, 103’
– “A Minha Avó Trelototó”, de Catarina Ruivo, Portugal, fic./doc., 2018, 178’
– “Tragam-me a Cabeça de Carmen M.”, de Felipe Bragança, Catarina Wallenstein, Brasil/Portugal, fic., 2019, 60’
– “Tristeza e Alegria na Vida das Girafas”, de Tiago Guedes, Portugal, fic., 2019, 109’

COMPETIÇÃO NACIONAL (CURTAS-METRAGENS
– “A Casa, a Verdadeira e a Seguinte, Ainda Está por Fazer”, de Sílvia das Fadas
– “Arriaga”, de Welket Bungué
– “Bela Mandil”, de Helena Estrela Vasconcelos
– “Em Caso de Fogo”, de Tomás Marques
– “Espectros da Terra”, de Clara Pais, Daniel Fawcett, Portugal/ Reino Unido, exp./fic., 2018, 4’
– “Estudos de Muybridge e Etc…”, de Júlio F. R. Costa
– “Filomena”, de Pedro Cabeleira
– “Fordlândia Malaise”, de Susana de Sousa Dias
– “Grbavica”, de Manel Raga
– “Heatstroke”, de Edgar Morais
– “Invisível Herói”, de Cristèle Alves Meira
– “Memória e Dicionário”, de Paulo Lima
– “O Mar Enrola na Areia”, de Catarina Mourão
– “Os Inúteis”, de Rui Esperança
– “Past Perfect”, de Jorge Jácome
– “Poder Fantasma”, de Afonso Mota
– “The Hood”, de Patricia Vidal Delgado

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL (LONGAS-METRAGENS)
– “Bait”, de Mark Jenkin
– “De los Nombres de las Cabras”, de Silvia Navarro e Miguel G. Morales
– “De Nuevo Otra Vez”, de Romina Paula
– “Jessica Forever”, de Caroline Poggi e Jonathan Vinel
– “Lost Holiday”, de Thomas Matthews e Michael Kerry
– “Ne Travaille Pas (1968 – 2018)”, de César Vayssié
– “Present.Perfect.”, de Shengze Zhu
– “Thou Shalt Not Kill”, de Gabi Virginia e Catalin Rotaru
– “So Pretty”, de Jessie Jeffrey Dunn Rovinelli
– “Temporada”, de André Novais Oliveira

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL (CURTAS-METRAGENS)
– “A Million Years”, de Danech San
– “Acid Rain”, de Tomek Popakul
– “D’un Château l’Autre”, de Emmanuel Marre
– “De Longs Discours dans vos Cheveux”, de Alexandre Steiger
– “Dürrenwaid 8”, de Ines Christine Geißer e Kirsten Carina Geißer
– “Fest”, de Nikita Diakur
– “Foyers”, de Paul Heintz
– “Gli Anni”, de Sara Fgaier
– “Guaxuma”, de Nara Normande
– “Huile Sur Vent”, de Alejandro Perez
– “I Got My Things And Left”, de Philbert Aimé Mbabazi Sharangabo
– “Je Sors Acheter des Cigarettes”, de Osman Cerfon
– “La Bala de Sandova”, de Jean-Jacques Martinod
– “Les Idées s’Améliorent”, de Léo Richard
– “Les Petites Vacances”, de Louise Groult
– “Life After Love”, de Zachary Epcar
– “Lunar-Orbit Rendezvous”, de Mélanie Charbonneau
– “Octane”, de Jeron Braxton
– “Operation Jane Walk”, de Leonhard Müllner e Robin Klengel
– “Past Perfect”, de Jorge Jácome (Portugal)
– “Princesa Morta do Jacuí”, de Marcela Ilha Bordin
– “Suc de Síndria”, de JuiceIrene Moray
– “Swatted”, de Ismaël Joffroy Chandoutis
– “Take me Please”, de Olivér Hegyi
– “The Curse of the Phantom Tympanum”, de Graeme Cole
– “The Flood Is Coming”, de Gabriel Böhmer
– “The Girl With Two Heads”, de Betzabé Garcia
– “The Sasha”, de María Molina Peiró
– “Tombent les Heures”, de Blanca Camell Galí
– “Tonnerre sur Mer”, de Yotam Ben-David
– “Turbine”, de Alex Boya
– “Walled Unwalled”, de Lawrence Abu Hamdan

SILVESTRE (LONGAS-METRAGENS)
– “3 Rostos”, de Jafar Panahi
– “A Rosa Azul de Novalis”, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro
– “Alice T.”, de Radu Muntean
– “Amanda”, de Mikhaël Hers
– “Em Chamas”, de Lee Chang Dong
– “Entre dos Aguas”, de Isaki Lacuesta
– “I Do Not Care If We Go Down in History as Barbarians”, de Radu Jude
– “Ich War Zuhause, Aber”, de Angela Schanelec
– “L’île au Trésor”, de Guillaume Brac
– “M.”, de Yolande Zauberman
– “Os Jovens Baumann”, de Bruna Carvalho Almeida
– “Peterloo”, de Mike Leigh
– “Querência”, de Helvécio Marins Jr.
– “Seus Ossos e Seus Olhos”, de Caetano Gotardo
– “Sophia Antipolis”, de Virgil Vernier
– “Tarde Para Morir Joven”, de Dominga Sotomayor
– “The Grand Bizarre”, de Jodie Mack

SESSÕES ESPECIAIS (LONGAS-METRAGENS)
– “Donzela Guerreira”, de Marta Pessoa
– “Hotel Império“, de Ivo M. Ferreira
– “Sinónimos”, de Nadav Lapid
– “Sul”, de Ivo M. Ferreira (Portugal)
– “The Apartment”, de Billy Wilder
– “The Beach Bum: A Vida Numa Boa”, de Harmony Korine
– “Um Ramadão em Lisboa”, de Amaya Sumpsi, Carlos Lima, Catarina Alves Costa, Joana Lucas, Raquel Carvalheira e Teresa Costa
– “Understory”, de Margarida Cardoso

SESSÕES ESPECIAIS (CURTAS-METRAGENS)
– “Cat Security”, de Lou Ka Choi
– “G.D.P.: Grandmas’ Dangerous Project”, de Peeko Wong
– “Monólogos com a História”, de Sol de Carvalho
– “Rabbit Meets Crocodile”, de Sam Kin Hang
– “Sheep”, de Mak Kit Wai
– “Sou Autor Do Meu Nome Mia Couto”, de Solveig Nordlund
– “The Cricket Dynasty”, de Chang Seng Pong

Artigos relacionados