FantasPorto 2015: Programa para o dia 4 de março

filmes_fantasporto_4 marco

Confira a programação do 35º Festival Internacional de Cinama do Porto – FantasPorto 2015, que está a decorrer no Teatro Municipal Rivoli, na cidade do Porto.

Para amanhã, quarta-feira, dia 4 de março, é esta a cronologia do programa agendado:

Grande Auditório

13:30 h – ‘Pink Zone (2014 – 1h 32m) – Benjamin Walter

O filme está ambientado em 2026 e as mulheres estão à beira da extinção, devido a um vírus mortal transmitido por beijos e que dizimou 80% da população feminina sobre a terra. Como medida de segurança, o governo dos EUA iniciou um projeto para levar as sobreviventes para um local denominado ‘Pink Zone’. Mas, quando um grupo de jovens delinqüentes decide invadir a zona, tudo está prestes a mudar ..

A anteceder, será exibida a curta-metragem ‘Big Horror’ (2m) de Maurice Huvelin.

15:15 h – ‘Norway‘ (2014 – 1h 13m) – Yannis Veslemmes

Este filme do realizador grego é uma história surrealista recheada de humor e vampiros, ambientada em Atenas, no ano de 1984. Zano, um vampiro mas vituoso bailarino, entranhado no obscuro submundo da cidade, procura satisfazer aquilo que realmente quer… uma mulher quente.

16:45 h – ‘Handy‘ (2013 – 1h 28m) – Vincenzo Cosetino

Este é o primeiro filme sobre a vida de uma mão (chamada Handy), que depois de uma vida passada com seu dono (um mau escritor), decide separar-se do corpo, para provar que, uma só mão pode tornar-se no melhor escritor. Mas as consequências desta ação vão afetar todas as outras mãos no mundo!

‘Mi Vanidad’ (8m), uma curta de Francisco Bautista Reyes atecede a exibição de ‘Handy’.

18:30 h – ‘Let Us Prey‘ (2014 – 1h 30m) – Brian O’Malley

Um misterioso estranho é preso numa esquadra de polícia durante uma noite fatídica. No calabouço, o carismático solitário começa a apoderar-se das mentes dos companheiros e dos policias. Influenciados pela sua vontade, os demónios interiores explodem numa noite louca de caos e sangue.

Antecedido pela curta de Edouard Salier, ‘Habana’ (22m).

21:15 h – ‘Memoiries On Stone‘ (2014 – 1h 37m) – Shawkat Amin Korki

Com o título original ‘Bîranînen li ser kevirî’, é um drama de guerra sobre o genocidio do povo curdo no Iraque, na campanha Anfal, em 1988.

23:00 h – ‘Blood Moon‘ (2014 – 1h 30m) – Jeremy Wooding

1887. Colorado. Uma cidade deserta é iluminada pelo brilho de uma lua cheia avermelhada. Uma diligência cheia de passageiros e um misterioso pistoleiro encontram-se prisioneiros de dois bandidos em fuga. Os viajantes tentam fugir dos bandidos, mas torna-se evidente que uma ameaça maior espreita do lado de fora. Um animal feroz que que só aparece na noite em que a lua é vermelha de sangue.

A curta ‘The Substitute’ (23m) de Nathan Hughes-Berry, antecede ‘Blood Moon’.

Pequeno Auditório

15:15 h – Prémio Cinema Português – Melhor Filme

A Porta 21‘ (2014 – 1h 33m) – João Marco

Um filme neo “noir”, psicologicamente negro, filmado a preto e branco. Uma mulher sem passado, um homem sem futuro, um final em “downbeat”. Um escritor é roubado, um “amigo”, dois dedos de conversa morna.

17:15 h – Prémio Cinema Português – Melhor Filme: Curtas 1

‘Last Seconds’ (8m) – Stephane de Oliveira e Rui Costa
‘Negro de Carvão’ (9m) – Tânia Prates
‘Retrato, Sombra, Grito’ (22m) – Ana Luisa Vale
‘H.E.P.’ (15m) – Tiago Pimentel
‘Quietude’ (3m) – Luís Miranda
‘O Último Amolador de Tesouras’ (13m) – Ricardo Guerreiro
‘Uma Recordação de Dezembro’ (14m) – Franklin Pinho
‘Vladimir’ (8m) – Nuno Bouça e Ana Bossa

21:30 h – ‘The Story of Vernon and Irene Castle‘ (1939 – 1h 33m) – H.C. Potter

A retrospectiva a Fred Astaire e Ginger Rogers continua com o filme intitulado em português ‘O Bailado da Saudade’. Na história narra a via de um famoso casal dos musicais da Broadway no começo do século XX, Vernon e Irene Castle, com uma belíssima selecção de temas musicais do tempo.

23:15 h – ‘México Barbaro‘ ((2014), 1h 53m) – Isaac Ezban, Laurette Flores Bornn, Jorge Miguel Grau, Ulises Guzman, Edgar Nito, Lex Ortega, Gigi Saul Guerrero, Aaron Soto

Oito segmentos, oito diferentes visões, muito particulares, de oito realizadores sobre o tema genérico ‘México Bárbaro’. O México sempre foi bárbaro, desde os seus antepassados e os seus sacrifícios humanos até à barbárie dos dias de hoje. Este filme é um adaptação pela voz de diferentes realizadores, de lendas tradicionais da cultura popular mexicana.

A anteceder o filme de terror, será exibido ‘ Awakening’ (20m), curta de Gaelle Mourre.

Artigos relacionados