Fox estreia esta noite a primeira temporada da série criminal “Prodigal Son”

Fox estreia a temporada 1 de Prodigal Son

O canal Fox Portugal estreia esta noite a primeira temporada da série “Prodigal Son“, um drama criminal criado por Chris Fedak e Sam Sklaver. Os episódios são emitidos todas as segundas-feiras, sempre com início às 22:15h, a partir de 6 de setembro.

A série centra-se em Malcolm Bright (Tom Payne), um psicólogo criminal que tem um dom: ele sabe como é que os assassinos pensam e como é que as suas mentes funcionam. Porquê? O seu pai é “O Cirurgião”, um notório assassino em série que tirou a vida a mais de 20 pessoas.

À medida que usa o seu génio pouco ortodoxo para entrar nas mentes de assassinos, Bright ajuda a polícia de Nova Iorque a resolver crimes traçando o perfil dos assassinos, ao lado do seu mentor de longa data e pai substituto, Gil Arroyo (Lou Diamond Phillips), e dos detetives Dani Powell (Aurora Perrineau), Jt Tarmel (Frank Harts) e da Dr.ª Edrisa Tanaka (Keiko Agena).

No entanto, o seu melhor recurso para resolver homicídios é o seu “querido” pai, o homicida estranhamente “amável” Martin Whitly (Michael Sheen), cuja perícia e conhecimento ajuda bastante o seu relutante filho.

Ao mesmo tempo que Bright ajuda a capturar os mais perigosos criminosos da cidade, ele batalha com os seus próprios demónios – e em nada ajuda que a sua mãe, antiga socialité Jessica Whitly (Bellamy Young), não aceite a queda do seu estatuto e tenha uma opinião sobre cada aspeto da vida de Bright, tornando-a numa mulher manipuladora.

Por sorte, ele pode contar com o apoio da sua irmã irritantemente normal, Ainsley Whitly (Halston Sage), uma repórter que adora o seu irmão e as suas excentricidades. Apesar de tudo, Bright não é um assassino em série, apenas foi criado por um que ainda procura criar laços com o seu filho pródigo.

Nos primeiros episódios da série, existe a possibilidade de Bright ajudar Arroyo a resolver um homicídio para polícia de Nova Iorque. À medida que Bright entra na mente desse assassino em série, vê-se a lidar com as repercussões de ver o seu pai pela primeira vez em anos. Atormentado pelos terrores da sua infância, Bright é confrontado com uma pergunta: os seus sonhos são apenas pesadelos ou aconteceram mesmo?

Artigos relacionados