Jason Isaacs vai interpretar o ator Cary Grant na série biográfica “Archie”

O falecido ator britânico Cary Grant (1904-1986), que adquiriu a cidadania norte-americana, foi uma das estrelas mais lendárias da era clássica de Hollywood, com uma notável carreira entre os anos 1930 até meados da década de 1960.

Como uma das pessoas mais notáveis ​​de Bristol, o ícone será agora o tema de uma nova série biográfica dramática de quatro episódios intitulada “Archie“, que será protagonizada pelo também britânico Jason Isaacs (Operação Secreta), que expressou o seu interesse em retratar o falecido ator. A série foi escrita por Jeff Pope (Bucha e Estica). A filha de Grant, Jennifer Grant, e a ex-esposa Dyan Cannon, estão anexadas ao projeto como produtoras executivas.

Cary Grant e Ingrid Bergman no filme “Difamação”

A série que será transmitida pela ITV e pela BritBox International, contará a história do humilde começo do ator nascido no Reino Unido como Archibald Alec Leach, que cresceu na pobreza absoluta em Bristol, tentando sobreviver até mudar-se para os Estados Unidos e tornar-se num dos principais protagonistas de Hollywood. O programa também destacará a infeliz vida privada de Grant, os seus dois casamentos fracassados ​​e a sua reforma do grande ecrã anos depois.

“Havia apenas um Cary Grant, e eu nunca seria tolo suficiente para tentar entrar nos seus icónicos sapatos. O guião brilhante de Jeff dá vida à sua luta implacável para escapar dos demónios que o atormentavam, a sua necessidade obsessiva de controlo, os seus medos, as suas fraquezas, os seus amores e as suas perdas, são sapatos que mal posso esperar para entrar”, disse em comunicado o ator, mais conhecido pela sua interpretação como o bruxo Lucius Malfoy em quase todos os filmes da saga Harry Potter.

Cary Grant e Rosalind Russell no filme “O Grande Escândalo”

Depois de ter chegado a Hollywood, Grant tornou-se rapidamente um dos galãs mais rentáveis do cinema americano, tendo protagonizados êxitos como “As Duas Feras” (1938), “Casamento Escandaloso” (1940) e “O Mundo É Um Manicómio” (1944), bem como em várias colaborações com Alfred Hitchcock, incluindo “Suspeita” (1941), “Difamação” (1946) ou “Ladrão de Casaca” (1955).

A sua última interpretação foi no filme “Devagar, Não Corra”, lançado em 1966. Depois de ter recebido duas nomeações, foi distinguido em 1970 com um Oscar Honorário. Cary Grant morreu em 1986, aos 82 anos.

Artigos relacionados