Katie Holmes vai produzir e protagonizar a adaptação de “The Watergate Girl”

Katie Holmes vai produzir e protagonizar The Watergate Girl

Katie Holmes, vista no ano passado nos nossos cinemas em “The Boy – A Maldição de Brahms” e “O Segredo: Atreve-te a Sonhar“, será a protagonista da futura adaptação de “The Watergate Girl: My Fight For Truth and Justice Against A Criminal President“, adaptação do best-seller autobiográfico de Jill Wine-Banks, ex-promotora do caso Watergate, o escândalo político ocorrido em 1974 nos EUA.

Lançado em fevereiro de 2020, o livro abriu uma janela para um período conturbado da história americana, sendo também a história de uma jovem que tentou deixar a sua marca profissional enquanto estava presa num casamento fracassado, “esbofeteada” por preconceitos sexistas e escondendo os seus próprios segredos durante um período assustador.

Wine-Banks é uma atual analista jurídica da MSNBC, que começou sua carreira como promotora do crime organizado no Departamento de Justiça dos EUA, o que a levou a ser escolhida como uma das três promotoras especiais do caso Watergate, num processo de obstrução do julgamento de justiça contra os principais assessores do presidente Nixon.

Na época, com 30 anos de idade, era a única mulher na equipa que processou os oficiais de alto escalão da Casa Branca. Apelidada pela imprensa como “a advogada de minissaia”, ela lutou contra o sexismo casual da época para receber o respeito concedido a seus colegas homens – e prevaleceu.

“Estou animada por trabalhar com Katie Holmes e honrada pela minha experiência como a única mulher da equipa do caso Watergate ser partilhada no grande ecrã. Embora tenha sido há quase 50 anos, a história da nossa investigação e julgamento continua convincente e relevante para os eventos atuais e o sexismo refletido na minha história ecoa nos dias atuais. Espero que este filme seja uma abertura para mais diálogo sobre os desafios que as mulheres profissionais ainda enfrentam”, disse Wine-Banks.

Além de interpretar a ex-promotora e de estar envolvida na produção da adaptação através do seu estúdio Noelle Productions, Holmes acrescentou:

“Fui atraída por esta história porque é tão relevante hoje quanto o era naquela época. As mulheres estão constantemente a tentar quebrar o teto de vidro no local de trabalho masculino e esta mulher sozinha ajudou a reformular o julgamento de Watergate. Estou constantemente inspirada por essas fortes protagonistas femininas, e é um mundo que sempre vou querer explorar. “

Artigos relacionados