“Last Sunrise”, do chinês Wen Ren, venceu o Grande Prémio da 39ª edição do Fantasporto

Last Sunrise Filme vencedor do Fantasporto 2019

Terminou ontem (3 de março) a 39ª edição do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, com a exibição de filmes premiados, incluindo “Last Sunrise”, do chinês Wen Ren, vencedor do Grande Prémio de Melhor Filme, atribuído pelo Juri Internacional da Secção Oficial de Cinema Fantástico.

Em antestreia mundial, a primeira longa-metragem de Wen segue o astrónomo Sun Yang e a sua jovem assistente Chen Mu que descobrem um mundo gelado onde projectam o futuro da humanidade depois do sol desaparecer. Segundo a organização, é “um dos primeiros filmes de ficção científica produzidos na China, com grandes interpretações e efeitos especiais”.

O cineasta britânico Julian Richards venceu o prémio de Melhor Realização pelo conjunto de dois filmes que apresentou nesta secção, “Reborn” e “Daddy’s Girl”, “um facto inédito neste festival, já que nunca antes um realizador teve dois filmes a concurso, ambos em antestreia internacional”.

Nesta secção, o Júri Internacional decidiu atribuir o Prémio Especial a “In Fabric”, do realizador britânico Peter Strickland, uma Menção Especial a “The Fare”, de D. C. Hamilton, o prémio de Melhor Fotografia e Efeitos Visuais ao filme húngaro “His Master’s Voice”, de György Pálfy e ainda o prémio de Melhor Argumento para Rodrigo Aragão, argumentista e realizador do filme brasileiro “A Mata Negra”. O prémio para a melhor Curta-Metragem Fantástica foi para o filme israelita “My First Time”, de Asaf Livni.

Na área da interpretação, Christopher Rygh venceu o prémio de Melhor Ator por “The Head Hunter” e a australiana Georgia Chara foi galardoada como Melhor Actriz pelo seu desempenho em “Living Space”.

A Semana dos Realizadores do 39º Fantasporto consagrou como vencedor “Werewolf”, filme do polaco Adrian Panek. O Prémio Especial do Júri nesta competição foi para “Waiting for Sunset”, a primeira longa-metragem do filipino Carlo Catu, filme que deu a Dante Rivero o prémio de Melhor Ator. Já o prémio para o Melhor Realizador foi para a americana Christina Choe, por “Nancy” e o de Melhor Argumento foi atribuido a Balint Hegedûs e Károly Uji Mészáros pelo filme “X – The eXploited” (Hungria). As filipinas Ai-Ai de las Alas (School Service) e Ina Raymundo (Kuya Wes) venceram ex-aequo o prémio de Melhor Atriz.

Na secção Orient Express, o vencedor foi o filme “The Witch: Part 1 – The Subversion”, do sul-coreano Hoon-Jong Park e o Prémio Especial do Júri foi para “School Service”, de Louie Lagdameo Ignacio.

O Prémio de Cinema Português do Fantas 2019 foi para “The Head Hunter”, uma produção norte-americana dirigida por Jordan Downey, que envolveu uma ampla equipa portuguesa e foi filmada no Nordeste de Portugal, na zona de Bragança. A ETIC – Escola de Tecnologias Inovação e Criação, de Lisboa, venceu o Concurso Entre Escolas e a Menção Especial-Criatividade foi atribuída pelo júri ao filme “Cinzas”, de Célia Fraga, da Escola Superior Artística do Porto.

O Prémio do Público foi para o documentário do realizador britânico Alex Winter, “The Panama Papers” e o Prémio da Crítica para o filme indiano “Painting Life”, de Biju Kumar Damodaran.

Artigos relacionados