Midas assinala os 70 anos do fim da 2ª Grande Guerra Mundial com três filmes

A Midas Filmes vai apresentar um programa especial, associando-se à data instituída pela Assembleia Geral das Nações Unidas, que designa o dia 27 de Janeiro, como o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.

Para tal, e no ano em que o fim da Segunda Guerra Mundial comemora 70 anos, estreiam na próxima quinta-feira, dia 22, três novos documentários que abordam o tema:

A Noite Cairá‘ (Night will Fall) – André Singer

A 15 de Abril de 1945, as tropas britânicas libertaram o campo de concentração de Bergen-Belsen. Uma equipa de filmagens filmou as pilhas de cadáveres e os sobreviventes, provas irrefutáveis dos crimes cometidos pelo regime Nazi.

O produtor Sidney Bernstein planeava usá-las num filme e convidou Alfred Hitchcock para o montar. Mas, depois do fim da Guerra, as forças de ocupação mudaram a sua política e em vez de confrontar a Alemanha com a culpa, preferiram instalar a confiança para tornar possível a reconstrução do pós-Guerra.

E estas imagens de horror indizível foram confinadas aos arquivos. “A Noite Cairá” segue as pisadas deste filme inacabado conhecido como o “Hitchcock perdido”.

O Homem Decente‘ (Der Anständige) – Vanessa Lapa

Através de cartas, fotografias e diários encontrados na casa de família dos Himmler em 1945, o filme retrata a vida e a mente do “Arquitecto da Solução Final”, Heinrich Himmler.

Himmler escreve: “na vida, é preciso ser decente, corajoso e ter bom coração”. Como é que alguém pode ser um herói ao seus próprios olhos e um assassino aos olhos do mundo?

Um retrato único de umas das figuras mais proeminentes do Terceiro Reich: o Reichsfuhrer SS: Heinrich Himmler.

O Último dos Injustos‘ (Le dernier des injustes) – Claude Lanzmann

1975. Em Roma, Claude Lanzmann filma filme Benjamin Murmelstein, o último Presidente do Conselho Judeu do gueto de Theresienstadt, o único que sobreviveu à Guerra. Rabino em Viena, Murmelstein, depois da anexação da Áustria pela Alemanha em 1938, lutou com unhas e dentes com Eichmann, semana após semana, durante sete anos, conseguindo fazer com 121 mil judeus emigrassem e evitando a liquidação do gueto.

2012. Claude Lanzmann com 87 anos, sem mascarar a passagem do tempo, mas mostrando a permanência dos lugares, recupera estas entrevistas em Roma, regressando a Theresienstadt, a cidade “dada aos judeus por Hitler”, gueto modelo, gueto-mentira eleito por Adolf Eichmann para enganar o mundo. Descobrimos a personalidade extraordinária de Benjamin Murmelstein : dotado de uma inteligência fascinante e de uma coragem certa, memória incomparável, formidável contador de hitórias, irónico, sarcástico e verdadeiro.

Através estas 3 épocas, de Nisko a Theresienstadt e de Viena a Roma, o filme revela como nunca antes a génese da solução final, desmascara o verdadeiro rosto de Eichmann e desvenda as contradições do Conselho Judeu.

Veja nas respectivas fichas informações mais detalhadas sobre os filmes e assista ao trailer de cada um.

Artigos relacionados