Morreu o célebre comediante norte-americano Jerry Lewis, aos 91 anos

Aos 91 anos, Joseph Levitch, mais conhecido como Jerry Lewis, um dos mais célebres comediantes norte-americanos, morreu neste passado domingo em Las Vegas.

Nascido a 16 de março de 1926, em Newark, no seio de uma família judia, o ator tornou-se famoso pelas suas comédias estilo slapstick feita nos palcos, filmes, programas de rádio e na televisão.

Lewis inicialmente ganhou fama com o cantor Dean Martin, na década de 40, com apresentações em bares, em programas radiofónicos e na televisão. Nos anos 50, a dupla protagonizou vários filmes, até se separarem de forma brusca em 1956.

A partir daí, Lewis seguiu a sua carreira não só como ator, mas também como produtor, argumentista e realizador. Das cerca de 60 produções cinematográficas em que participou, destacamos “Recrutas… Sentido! (1950)”, “Jerry no Grande Hotel (1960)” e “As Noites Loucas do Dr. Jerryll (1963)”. Em 1983 trabalhou com Martin Scorsese, em “O Rei da Comédia” e em 1993, sob a direção de Emir Kusturica em “Arizona”. O seu último filme foi em 2016, no thriller criminal “Polícias Corruptos“, onde interpretou o pai de Nicolas Cage.

Ao longo da sua carreira, Lewis foi distinguido com vários prémios, entre os quais, em 1989, o Prémio de Carreira da Academia de Comediantes Americanos e em 2009, na 81ª edição dos Óscares, levou o Prémio Humanitário Jean Hersholt. O ator também tem a sua Estrela na Calçada da Fama.

Artigos relacionados