MOTELX está de volta à capital e ao Cinema São Jorge de 10 a 15 de setembro

Festival Cinema MotelX 2019

De 10 a 15 de setembro, o MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, está de volta à capital e ao Cinema São Jorge. A 13ª edição propõe mais de 60 sessões para mostrar o melhor do cinema de terror português e internacional.

Na sessão de abertura será apresentado em estreia nacional o thriller “Ma”, o último trabalho de Tate Taylor, cineasta que conta nos seus créditos anteriores com títulos como “As Serviçais” ou “A Rapariga no Comboio”. A encerrar o festival será exibido “Come to Daddy”, de Ant Timpson, com protagonismo de Elijah Wood.

Esta edição do MOTELX tem como convidado de honra Ari Aster, um dos mestres do terror americano, que marcará presença na estreia portuguesa de “Midsommar – O Ritual“, no dia 13 de setembro, às 21:00h e na reposição de “Hereditário“, no dia 14 de setembro, às 15:30h, ambas com uma sessão de perguntas e respostas. O cineasta também vai participar numa masterclass sobre folk e terror, moderada por pelo escritor Howard David Ingham, no dia 15 de setembro, às 17:30h, seguida de uma sessão de autógrafos.

Outro dos convidados é o veterano ator George Brown Randall, mais conhecido pelo seu nome artístico Jack Taylor, que participou em muitos filmes europeus, principalmente no cinema exploitation espanhol dos anos 60 e 70, e em particular em produções do realizador de culto espanhol Jesús Franco. Taylor também esteve às ordens de grandes nomes de Hollywood como Ridley Scott, Milos Forman ou Roman Polanski. O ator será homenageado com uma sessão especial na sexta-feira, dia 13, às 19:00h.

10 curtas-metragens de produção nacional vão concorrer pelo prémio de Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent, enquanto que, na competição Melhor Longa de Terror Europeia/Méliès d’Argent, em conjunto com a Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico, competem oito filmes. Mais abaixo pode conferir os títulos presentes nestas duas secções competitivas.

Uma das secções mais acarinhada pelo público é a Serviço de Quarto, que desta vez irá apresentar 26 longas-metragens internacionais, entre as quais “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, filme vencedor de Prémio do Júri do passado Festival de Cannes. Destaque também para o western feminista “The Wind”, de Emma Tammi, a produção sul-coreana “The Gangster, the Cop, the Devil”, de Lee Won-Tae, o filme japonês “It Comes”, de Tetsuya Nakashima, “O Bar Luva Dourada“, de Fatih Akin e “Lords of Chaos”, do sueco Jonas Åkerlund, baseado na história real da banda de black metal norueguesa “Mayhem” com apetite para a destruição.

A secção Doc Terror regressa com com documentários sobre dois lendários realizadores de filmes de terror série B, Jairo Pinilla e Al Adamson. Nas sessões especiais e em comemoração dos 40 anos, será exibida uma versão restaurada em 4K de “Alien – O 8.º Passageiro”, de Ridley Scott. Aproveitando o facto desta 13ª edição coincidir pela primeira vez com uma sexta-feira 13, será apresentado o clássico homónimo de Sean S. Cunningham, realizado em 1980.

A programação também inclui a secção infanto-juvenil Lobo Mau, a Quarto Perdido, uma secção que relembra clássicos esquecidos dos primórdios do cinema de género português e uma secção de curtas internacionais. João Pedro Rodrigues é o convidado do MOTELX para apresentar uma seleção de curtas em celebração do 20º aniversário da Agência da Curta-Metragem.

Workshops, actividades para os mais novos, apresentações, masterclasses e apresentação de livros completam o programa do festival que pode ser consultado no site oficial do MOTELX.

MELHOR CURTA DE TERROR PORTUGUESA
– “Archosargus Probatocephalus”, de David Vieira e Siavash Shahmoradi
– “Canção de Embalar”, de João Pedro Frazão
– “Dig Another Grave”, de Francisco Morais e Miguel Pinto
– “Do Outro Lado”, de João Pereira
– “Don’t Feed These Animals”, de Guilherme Afonso e Miguel Madaíl de Freitas
– “Erva Daninha”, de Guilherme Daniel
– “Exsulansis”, de Jorge Santos
– “Feliz Natal, Sr. Monstro”, de João Pais da Silva e André Rodrigues
– “Häuschen – A Herança”, de Paulo A.M. Oliveira e Pedro Martins
– “Reverso”, de Victor Santos

MELHOR LONGA DE TERROR EUROPEIA
– “Faz-me Companhia”, de Gonçalo Almeida
– “A Good Woman is Hard to Find”, de Abner Pastoll
– “All the Gods in the Sky”, de Quarxx
– “Extra Ordinary”, de Mike Ahern e Enda Loughman
– “Finale”, de Søren Juul Petersen
– “Get In”, de Olivier Abbou
– “The Hole in the Ground”, de Lee Cronin
– “Why Don’t You Just Die!”, de Kirill Sokolov

Artigos relacionados