Neill Blompkamp vai dirigir a adaptação do romance ‘The Gone World’

Depois de ter dirigido ‘Chappie’ em 2015, Neill Blompkamp dedicou-se à produção de curtas-metragens através da sua produtora Oats Studios, impressionantes obras que merecem realmente ser vistas. Talvez devido a estes belos trabalhos, o cineasta foi contratado pela 20th Century Fox para comandar a adaptação cinematográfica de ‘The Gone World’, livro do escritor Tom Sweterlitsch.

O anúncio foi feito pelo próprio Blompkamp, através da sua conta no Twitter: “Isto acabou de chegar. Livro verdadeiramente incrível de @LetterSwitch. Tão entusiasmado por dirigir isto para a @20thcenturyfox”, escreveu o cineasta, que anexou uma imagem com a capa do livro.

‘The Gone World’ é um thriller de ficção científica de tensão fascinante e alcance surpreendente, definido como uma mescla de ‘A Origem’ (Inception) e True Detective, em que uma agente especial investiga um caso de assassinato com graves implicações para o destino da humanidade. O livro está previsto chegar as bancas no dia 6 de fevereiro de 2018.

A história ocorre em 1997, quando Shannon Moss, membro de uma divisão clandestina do NCIS (Naval Criminal Investigative Service), é encarregado de investigar o misterioso assassinato de um Navy SEAL e encontrar a sua filha adolescente que está desaparecida. Apesar de não poder partilhar a informação com as forças de ordem convencionais, Moss descobre que o SEAL foi um astronauta da U.S.S. Libra e as evidências (e as experiências passadas por Moss), apontam que a nave se perdera devido a um incidente de viagem no tempo.

Determinada a encontrar a menina desaparecida e impulsionada por uma conexão perturbadora do seu próprio passado, Moss avança no tempo para explorar possíveis versões do futuro, procurando evidências que irão resolver o caso atual. Para seu horror, o futuro revela que não é apenas o destino de uma família que depende do seu trabalho, pois o que ela testemunha ao longo do horizonte e precipitando-se para o presente é o Terminus: o fim aterrador e catastrófico da própria humanidade.

Artigos relacionados