“O Relatório Auschwitz”: O relato de dois sobreviventes heróicos do Holocausto

O campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, na Polónia, o arrepiante repositório dos crimes nazis da Segunda Guerra Mundial e um dos maiores expoentes do horror em todo o mundo, tornou-se o símbolo por excelência da tragédia do Holocausto, e histórias dos eventos que lá ocorreram oram infinitamente narrados, necessariamente lembrados e amplamente documentados em termos cinematográficos.

Numa altura em que o populismo e o autoritarismo parecem ganhar peso no mundo, os filme sobre o maior campo de extermínio nazi e sinónimo de terror e genocídio nos últimos 80 anos, são sempre bem-vindos, como forma de dar a conhecer às gerações mais novas o que lá se passou, até porque ainda agora há quem não acredite que tudo aquilo aconteceu.

Nesse contexto, a Films4You agendou para a próxima quinta-feira a estreia nos cinemas portugueses do filme “O Relatório Auschwitz” (The Auschwitz Report), um filme realizado por Peter Bebjak, escolhido como representante da Eslováquia nos Óscares 2021, que conta a história real de dois corajosos judeus eslovacos que escaparam de Auschwitz, em 1944, e revelaram detalhes sobre o extermínio sistemático de prisioneiros judeus no campo de concentração.

Em 1942, as primeiras notícias que chegavam sobre os assassinatos perpetrados naquele acampamento já delineavam um massacre de proporções exageradas, desumanas e excessivamente vastas. Antes de escaparem, os jovens Alfred Wetzler e Rudolf Vrba, retratados no filme como Freddy e Walter, foram designados pelo comandante do campo para trabalhar como escribas, estando por isso a par de relatórios sobre os assassinatos de prisioneiros que ocorreram diariamente em Auschwitz, bem como outros segredos nazis.

Após a fuga, tornaram-se os indivíduos mais procurados na Polónia ocupada pelos nazis. Enfrentando a fome e o frio enquanto atravessavam montanhas e florestas, os dois fugitivos de alguma forma conseguiram chegar à fronteira polaco-eslovaca. Lá apresentaram o seu relatório de 32 páginas, detalhando a geografia e administração dos campos e os sistemáticos genocídios ali praticados, a sua origem e o número de escolhidos para trabalharem nas câmaras de gás, No entanto, devido à propaganda nazi e às ligações internacionais ainda em vigor, o exagero da crueldade narrada é demasiado chocante para ser credível.

Com uma narrativa envolvente e retrato assombroso dos horrores que os judeus enfrentaram durante o Holocausto, “O Relatório Auschwitz” é uma estreia a não perder. Assista ao trailer legendado.

Artigos relacionados