Prémios Sophia 2017: ‘Cartas da Guerra’ foi o grande vencedor

Realizou-se ontem, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, a cerimónia de entrega dos Prémios Sophia 2017, distinções atribuídas pelos membros da Academia Portuguesa de Cinema.

‘Cartas da Guerra’ de Ivo M. Ferreira, foi o grande vencedor da noite ao arrecadar nove prémios, entre eles o de Melhor Filme e o de Melhor Realizador. ‘Cinzento e Negro’, filme de Luís Filipe Rocha, partia para esta gala como o mais nomeado (14), mas só conquistou três troféus, um deles o de Melhor Ator principal, atribuído a Miguel Borges. Ana Padrão levou o prémio de Melhor Atriz principal pela sua interpretação em ‘Jogo de Damas’.

A noite serviu também para entregar o prémio de Mérito e Excelência a Ruy de Carvalho e os prémios Carreira à atriz Adelaide João e ao diretor de fotografia Elso Roque.

Foi ainda anunciada a criação dos Prémios Nico, em homenagem ao ator Nicolau Breyner e que irá premiar as promessas e revelações do cinema nacional, prémios que deverão ser entregues por altura do aniversário da Academia, em julho de cada ano.

Confira a lista dos vencedores e dos nomeados:

MELHOR FILME
VENCEDOR – ‘Cartas da Guerra’
– ‘Cinzento e Negro’
– ‘A Mãe é que Sabe
– ‘Estive em Lisboa e Lembrei de Você

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM
VENCEDOR – ‘Mudar de Vida, José Mário Branco, vida e obra’ de Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo
– ‘O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu’ de João Botelho
– ‘A Toca do Lobo’ de Catarina Mourão
– ‘Rio Corgo’ de Sérgio da Costa e Maya Kosa

MELHOR REALIZADOR
VENCEDOR – Ivo M. Ferreira (Cartas da Guerra)
– Luís Filipe Rocha (Cinzento e Negro)
– José Fonseca e Costa (Axilas)
– Nuno Rocha (A Mãe é que Sabe)

MELHOR ATRIZ PRINCIPAL
VENCEDORA – Ana Padrão (Jogo de Damas)
– Joana Bárcia (Cinzento e Negro)
– Margarida Vila-Nova (Cartas da Guerra)
– Ivana Baquero (Gelo)

MELHOR ATOR PRINCIPAL
VENCEDOR – Miguel Borges (Cinzento e Negro)
– Filipe Duarte (Cinzento e Negro)
– Miguel Nunes (Cartas da Guerra)
– Albano Jerónimo (Gelo)

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA
VENCEDORA – Manuela Maria (A Mãe é que Sabe)
– Inês Castel-Branco (Gelo)
– Camila Amado (Cinzento e Negro)
– Dalila Carmo (A Mãe é que Sabe)

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
VENCEDOR – Adriano Carvalho (A Mãe é que Sabe)
– Carlos Santos (A Mãe é que Sabe)
– Adriano Luz (John From)
– Ivo Canelas (Gelo)

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL
VENCEDOR – Luís Filipe Rocha (Cinzento e Negro)
– Luís Galvão Teles, Gonçalo Galvão Teles e Luís Diogo (Gelo)
– Mário Botequilha, José Fonseca e Costa (Axilas)
– Roberto Pereira, Nuno Rocha (A Mãe é que Sabe)

MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO
VENCEDOR – Ivo M. Ferreira, Edgar Medina (Cartas da Guerra)
– Hugo Vieira da Silva (Posto-Avançado do Progresso)
– José Barahona (Estive em Lisboa e Lembrei de Você)
– Julia Roy (Até Nunca)

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL
VENCEDORA – Mário Laginha (Cinzento e Negro)
– Filipe Raposo (Refrigerantes e Canções de Amor)
– The Red Trio e Norberto Lobo (Aqui, em Lisboa – Episódios da Vida de Uma Cidade)
– Nuno Malô (A Canção de Lisboa)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
VENCEDOR – ‘Refrigerantes e Canções de Amor’, letra Sérgio Godinho e música Filipe Raposo
– ‘Sobe o Calor’, letra de Sérgio Godinho e música Filipe Raposo (Refrigerantes e Canções de Amor)
– ‘Balada para uma dinossaura’, letra e musica João Tempera (Refrigerantes e Canções de Amor)
– ‘Será Amor’, composição de Miguel Araújo (A Canção de Lisboa)

MELHOR SOM
VENCEDOR – Ricardo Leal e Tiago Matos (Cartas da Guerra)
– Carlos Alberto Lopes, Elsa Ferreira (Cinzento e Negro)
– Olivier Blanc, Branko Neskov (Gelo)
– Pedro Melo, Tiago Raposinho e Tiago Matos (A Mãe é que Sabe)

MELHOR FOTOGRAFIA
VENCEDOR – João Ribeiro (Cartas da Guerra)
– André Szankowski (Cinzento e Negro)
– Luís Branquinho (A Mãe é que Sabe)
– Rui Poças (O Ornitólogo)

MELHOR DIREÇÃO ARTÍSTICA
VENCEDOR – Nuno G. Mello (Cartas da Guerra)
– Isabel Branco (Cinzento e Negro)
– Ana Paula Rocha e João Martins (Gelo)
– Joana Cardoso (A Mãe é que Sabe)

MELHOR GUARDA ROUPA
VENCEDORA – Lucha d’Orey (Cartas da Guerra
– Isabel Branco (Cinzento e Negro
– Ana Paula Rocha e Sílvia Siopa (Gelo)
– Mia Lourenço (A Mãe é que Sabe)

MELHOR MAQUILHAGEM E CABELOS
VENCEDOR – Nuno Esteves “Blue” (Cartas da Guerra)
– Sandra Pinto (Cinzento e Negro)
– Emanuelle Fèvre, Iracema Machado (Gelo)
– Ana Lorena, Natália Bogalho (Axilas)

MELHOR MONTAGEM
VENCEDOR – Sandro Aguilar (Cartas da Guerra)
– António Pérez Reina (Cinzento e Negro)
– Pedro Ribeiro (Gelo)
– Paula Miranda (A Mãe é que Sabe)

PRÉMIO SOPHIA ESTUDANTE
VENCEDOR – ‘A Instalação do Medo’ de Ricardo Leite
– ‘Marvin’s Island’ de António Vieira, Filipa Burmester, Pedro Oliveira
– ‘Post-Mortem’ de Belmiro Ribeiro
– ‘Pronto, era Assim’ de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM
VENCEDORA – ‘Balada de um Batráquio’ de Leonor Teles
– ‘A Vossa Terra’ de João Mário Grilo
– ‘António, Lindo António’ de Ana Maria Gomes
– ‘Portugueses do Soho’ de Ana Ventura Miranda

MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO
VENCEDORA – ‘Menina’ de Simão Cayatte
– ‘Bastien’ de Welket Bungué
– ‘A Brief History Of Princess X’ de Gabriel Abrantes
– ‘Campo De Víboras’ de Cristèle Alves Meira

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO
VENCEDORA – ‘Estilhaços’ de José Miguel Ribeiro
– ‘Fim De Linha’ de Paulo D’Alva
– ‘Última Chamada’ de Sara Barbas
– ‘A Casa Ou Máquina De Habitar’ de Catarina Romano

Artigos relacionados