Produção de uma nova sequela de “Shaft” poderá ter apoio da Netflix

A Netflix está prestes a fechar um acordo com a New Line para a produção do reboot/sequela de “Shaft”, filme de 2000. Segundo o Deadline, o serviço de streaming está disposta a pagar 30 milhões de dólares, mais de metade do orçamento do filme, em troca dos direitos internacionais e a de poder disponibilizar o filme na suas plataformas, fora dos Estados Unidos, duas semanas após o lançamento nos cinemas dos Estados Unidos.

Este negócio é uma maneira inventiva de potencialmente mudar o modelo, de como determinado filme temático urbano é financiado e distribuído. Normalmente e na grande maioria, estes filmes vivem à custa das receitas no mercado dos EUA, dando assim possibilidades, com estes negócios, obterem mais dinheiro para a produção.

Ainda sem título, o filme começará a ser desenvolvido em dezembro, com Tim Miller (Deadpool) na realização, baseado num argumento escrito por Kenya Barris. Samuel L. Jackson (Kong: Ilha da Caveira) regressa como , papel que interpretou em 2000, o sobrinho do detetive privado protagonizado por Richard Roundtree em “Shaft, Máfia em Nova Iorque (1971)”, ator que também está previsto aparecer nesta versão.

Já confirmado no elenco está Jessie T. Usher (Um Jogo de Honra), que foi o eleito para ser o filho do personagem de Jackson. Usher interpretará um jovem agente do FBI, que apesar de estar afastado do pai, é forçado a trabalhar com ele num caso, dando origem à colisão ente a velha e a nova escola.

Artigos relacionados