“Quo Vadis, Aida?” foi o grande vencedor da 34ª edição dos Prémios do Cinema Europeu

 

Vencedores dos Prémios Cinema Europeu 2021Quo Vadis, Aida?“, de Jasmila Zbanic, foi o grande vencedor da 34ª edição dos Prémios do Cinema Europeu, atribuídos anualmente pela Academia de Cinema Europeu, e cujos vencedores foram anunciados numa cerimónia em formato híbrido que decorreu em Berlim no passado sábado (11).

Estreado nos cinemas nacionais no passado mês de junho e nomeado ao Óscar de Melhor Filme Internacional 2021, o filme, que conta a história da luta de uma mulher para salvar a sua família durante os verdadeiros eventos do genocídio da Guerra da Bósnia em Srebrenica, no ano de 1995, conquistou ainda o galardão de Melhor Realização e de Melhor Atriz (Jasna Duricic).

Destaque também para “Flee – A Fuga“, filme dinamarquês de Jonas Poher Rasmussen, que também arrecadou três prémios: Melhor Animação, Melhor Documentário e Melhor Filme Universitário. Entre os premiados também se encontram “O Pai“, de Florian Zeller, vencedor do prémio de Melhor Argumento e Melhor Ator (Anthony Hopkins), e “Uma Miúda com Potencial“, de Emerald Fennell, distinguido com o prémio Discovery – FIPRESCI.

Portugal também está representado na lista de premiados com “My Uncle Tudor“, da realizadora moldava Olga Lucovnicova, vencedor na categoria de Melhor Curta-metragem, uma coprodução entre Portugal (Universidade Lusófona), Bélgica e Hungria, que venceu o Urso de Ouro para melhor curta-metragem no Festival de Berlim.

Confira a lista completa dos vencedores das principais categorias dos European Film Awards 2021:

MELHOR FILME
– “Quo Vadis, Aida?”, realizado por Jasmila Zbanic

MELHOR REALIZADOR
– Jasmila Zbanic por “Quo Vadis, Aida?”

MELHOR ATRIZ
– Jasna Duricic por “Quo Vadis, Aida?”

MELHOR ATOR
– Anthony Hopkins por “O Pai”

MELHOR ARGUMENTO
– Florian Zeller e Christopher Hampton por “O Pai”

MELHOR COMÉDIA
– “Ninjababy”, de Yngvild Sve Flikke

MELHOR ANIMAÇÃO
– “Flee – A Fuga“, de Jonas Poher Rasmussen

MELHOR DOCUMENTÁRIO
– “Flee – A Fuga”, de Jonas Poher Rasmussen

PRÉMIO FIPRESCI
– “Uma Miúda com Potencial”, de Emerald Fennell

MELHOR CURTA-METRAGEM
– “My Uncle Tudor”, de Olga Lucovnicova

Artigos relacionados