Revelada a lista de nomeações para a 32ª edição dos Prémios Goya

A Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Espanha anunciou a lista dos nomeados à 32ª edição dos Prémios Goya, galardões que premeiam o melhor do cinema espanhol.

Depois do ator Dani Rovira ter apresentado as três ultimas edições, a cerimónia de entrega de prémios, que se realiza no dia 3 de fevereiro de 2018, estará a cargo de Joaquín Reyes e Ernesto Sevilla, tendo como palco o Hotel Marriott Auditorium de Madrid.

Com 13 nomeações, o drama “Handia” de Aitor Arregi e Jon Garaño, parte na linha da frente para a conquista dos prémios, seguido pelo mais recente trabalho de Isabel Coixet, “La Librería”, com 12 indicações. Ambos os filmes são candidatos na categoria de Melhor Filme, onde também competem “El Autor”, de Manuel Martín Cuenca (com 9 nomeações), “Estiu 1993”, de Carla Simón (8) e “Verónica”, de Paco Plaza (7).

Na corrida pelo título de Melhor Filme Europeu concorrem 4 produções: “O Espírito da Festa“, “Lady Macbeth”, “O Quadrado” e “Toni Erdmann”, enquanto que, na categoria de Melhor Filme Ibero-Americano, os quatro candidatos são: o representante da Colômbia, “Amazona”, “Tempestad” (México), “Uma Mulher Fantástica” (Argentina) e “Zama” (Chile), este último uma coprodução da portuguesa O Som e a Fúria. “São Jorge“, de Marco Martins, indicado por Portugal, ficou de fora da corrida.

A lista completa dos nomeados é a seguinte:

MELHOR FILME
– “El Autor”
– “Estiu 1993”
– “Handia”
– “La Librería”
– “Verónica”

MELHOR REALIZADOR
– Manuel Martín Cuenca (El Autor)
– Aitor Arregi e Jon Garaño (Handia)
– Isabel Coixet (La Librería)
– Paco Plaza (Verónica)

MELHOR REALIZADOR EM ESTREIA
– Sergio G. Sánchez (El secreto de Marrowbone)
– Carla Simón (Estiu 1993)
– Javier Ambrossi e Javier Calvo (La Llamada)
– Lino Escaler (No Sé Decir Adiós)

MELHOR ATOR
– Antonio de la Torre (Abracadabra)
– Javier Gutiérrez (El Autor)
– Javier Bardem (Loving Pablo)
– Andrés Gertrúdix (Morir)

MELHOR ATRIZ
– Maribel Verdú (Abracadabra)
– Emilie Mortimer (La Librería)
– Penélope Cruz (Loving Pablo)
– Natalie Poza (No Sé Decir Adiós)

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
– José Mota (Abracadabra)
– Antonio de la Torre (El Autor)
– David Verdaguer (Estiu 1993)
– Bill Nighy (La Librería)

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIO
– Adelfa Calvo (El Autor)
– Ana Castillo (La Llamada)
– Belén Cuesta (La Llamada)
– Lola Dueñas (No Sé Decir Adiós)

MELHOR ATOR REVELAÇÃO
– Pol Monen (Amar)
– Eneko Sagardoy (Handia)
– Eloi Costa (Pieles)
– Santiago Alverú (Selfi)

MELHOR ATRIZ REVELAÇÃO
– Adriana Paz (El Autor)
– Bruna Cusí (Estiu 1993)
– Itziar Castro (Pieles)
– Sandra Escacena (Verónica)

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL
– “Abracadabra”
– “Estiu 1993”
– “Handia”
– “Verónica”

MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO
– “El Autor”
– “Incerta Gloria”
– “La Librería”
– “La Llamada”

MELHOR MÚSICA ORIGINAL
– “Handia”
– “La Cordillera”
– “La Librería”
– “Verónica”

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
– “El Autor”
– “La Librería”
– “La Llamada”
– “Zona Hostil”

MELHOR DIREÇÃO DE PRODUÇÃO
– “Estiu 1993”
– “Handia”
– “La Librería”
– “Oro”

MELHOR FOTOGRAFIA
– “Estiu 1993”
– “Handia”
– “La Librería”
– “Oro”

MELHOR MONTAGEM
– “Abracadabra”
– “Estiu 1993”
– “Handia”
– “La Librería”

MELHOR DIREÇÃO ARTÍSTICA
– “Abracadabra”
– “Handia”
– “La Librería”
– “Oro”

MELHOR GUARDA-ROUPA
– “Abracadabra”
– “Handia”
– “La Librería”
– “Oro”

MELHOR CARACTERIZAÇÃO
– “Abracadabra”
– “Handia”
– “Oro”
– “Pieles”

MELHOR SOM
– “El Autor”
– “El Bar”
– “Handia”
– “Verónica”

MELHORES EFEITOS ESPECIAIS
– “Handia”
– “Oro”
– “Verónica”
– “Zona Hostil”

MELHOR ANIMAÇÃO
– “Deep, El Pulpo”
– “Nur Eta Herensugearen Tenplua”
– “Tad e o Segredo do Rei Midas”

MELHOR DOCUMENTÁRIO
– “Cantábrico, Los Dominios del Oso Pardo”
– “Dancing Beethoven”
– “Muchos Hijos, un Mono y un Castillo”
– “Saura(s)”

MELHOR FILME IBERO-AMERICANO
– “Amazona”, de Clare Weiskopf e Nicolas van Hemelryck
– “Tempestad”, de Tatiana Huezo
– “Uma Mulher Fantástica”, de Sebastián Lelio
– “Zama”, de Lucrecia Martel

MELHOR FILME EUROPEU
– “O Espírito da Festa”, de Eric Toledano e Olivier Nakache
– “Lady Macbeth”, de William Oldroyd
– “O Quadrado”, de Ruben Östlund
– “Toni Erdmann”, de Maren Ade

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO
– “Australia”
– “Baraka”
– “Como yo te Amo”
– “Extraños en la Carretera”
– “Madre”

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
– “Los Desheredados”
– “Primavera Rosa en México”
– “The Fourth Kingdom”
– “Tribus de la Inquisición”

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO
– “Colores”
– “El Ermitaño”
– “Un Día en el Parque”
– “Woody & Woody”

Artigos relacionados