RTP2 estreia a primeira temporada da série dramática russa “257 Razões para Viver”

RTP2 estreia a serie 257 Razões Para Viver

Aos sábados e domingos, às 21:00h, a partir do dia 14 de novembro, a RTP2 exibe a primeira temporada de “”, uma série dramática russa de 13 episódios, que acompanha a vida de uma paciente com cancro terminal que, inesperadamente, entra em remissão. Determinada a não perder um minuto desta sua segunda oportunidade, procura concretizar a extensa lista de desejos

Com apenas trinta anos de idade, Zhenya (Polina Maksimova) teve uma vida difícil. Mas depois de três anos de luta, o impensável acontece: o cancro está em remissão! No entanto, o que deveria ser o dia mais feliz da sua vida rapidamente se transforma num desastre. O namorado, que está com ela apenas por pena, termina a relação. No trabalho, ficam mais irritados ao vê-la viva do que felizes por tê-la de volta. A egocêntrica irmã mais nova, Sonya, Insta-Queen, não abre mão da receita que criou com a arrecadação de fundos online para o tratamento de Zhenya.

Mas Zhenya está determinada a não perder um minuto desta sua segunda oportunidade e a resposta está num velho caderno que começou a escrever quando foi diagnosticada pela primeira vez: uma lista de 257 desejos – pequenos e simples, épicos e complexos, realistas e ambiciosos. O plano: fazer tudo na lista. Rumo a novas aventuras, Zhenya está determinada. Agora tem 257 motivos para enfrentar os problemas, desenvolver uma visão diferente da vida, viver ao máximo e ser feliz!

No primeiro episódio, Zhenya, numa consulta médica, descobre que o seu cancro está, finalmente, em remissão. Emocionada apressa-se a contar a novidade ao namorado que, do nada, diz que eles deveriam terminar… Os seus amigos e familiares também não reagiram da maneira que ela esperava… Parece que a vida continua a dar-lhe desgostos até que ela tropeça no seu velho caderno, onde ela escreve tudo o que gostaria de fazer quando melhorar…

A série realizada por Maksim Sveshnikov conta ainda no elenco principal com Egor Koreshkov, Maksim Lagashkin, Julia Topolnitskaya e Kirill Nagie.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *