Salas de cinema vão reabrir na Arábia Saudita 35 anos depois da proibição

Algo absurdo e impensável para um ocidental acontecia na Arábia Saudita. O país não tinha qualquer cinema em funcionamento há cerca de 35 anos, desde que, em 1982, os líderes religiosos persuadiram os governantes a encerrarem as salas, alegando que eram uma ameaça para a identidade religiosa e cultural do país.

O Reino – a sofrer alterações sísmicas sob o novo príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman Al-Saud – fez um anúncio oficial, que levanta a proibição imposta há décadas: “Como órgão regulador da indústria, a Comissão Geral de Meios Audiovisuais iniciou o processo de licenciamento de cinemas no Reino”, afirmou o ministro da Cultura e Informação, Awwad bin Saleh Alawwad, num comunicado, acrescentando que “Esperamos que os primeiros cinemas sejam abertos em março de 2018.”

Segundo aquele ministro, “A abertura dos cinemas servirá de catalisador para o crescimento económico e a diversificação. Ao desenvolver o setor cultural mais amplo, criaremos novas oportunidades de emprego e treinamento, além de enriquecer as opções de entretenimento do Reino”.

Esta é mais uma das medidas vistas como um progresso, depois que o príncipe herdeiro, líder do programa Vision 2030, através de um decretou real, concedeu às mulheres o direito de conduzirem veículos. Em 2013, Haifaa Al-Mansour tornou-se na primeira mulher a dirigir um filme dentro do reino saudita. “O Sonho de Wadjda”, foi também o primeiro filme a ser nomeado ao Óscar de Melhor Filme de Língua Estrangeira, pela Arábia Saudita.

Várias empresas, membros da Associação Nacional de Proprietários de Teatro (OTAN), estão a elaborar planos para os cinemas no Reino e estão prontas para desenvolverem salas de cinema luxuosas e de ponta, para todos os sauditas desfrutarem. Até 2030, prevê-se que existam mais de 300 salas de cinema com mais de 2.000 ecrãs.

Com mais de 32 milhões de habitantes, a crescente e jovem população da Arábia Saudita está faminta por esta experiência cinematográfica, pelo que se espera que este mercado cresça muito rapidamente.

Artigos relacionados