“São Jorge”, de Marco Martins, brilhou na noite dos Prémios Sophia 2018

Decorreu esta noite no Casino Estoril, a cerimónia de entrega dos Prémios Sophia 2018, galardões atribuídos pela Academia Portuguesa de Cinema.

São Jorge“, de Marco Martins, foi o grande vencedor da noite ao vencer em sete categorias, incluindo o de Melhor Filme e Melhor Realizador. “A Fábrica de Nada“, “Peregrinação” e “Uma Vida à Espera” saíram da gala com dois prémios cada um.

Nas categorias interpretativas, o Prémio de Melhor Ator Principal e Secundário foram para dois atores de “São Jorge”, Nuno Lopes e José Raposo, respetivamente. Na vertente feminina, Rita Blanco por “Fátima“, levou o prémio principal e Isabel Abreu (Uma Vida à Espera), o secundário.

A edição deste ano homenageou com os Prémios Sophia Carreira pelo “trabalho notável ao serviço do cinema português”, a caracterizadora Ana Lorena e o realizador e jornalista Lauro António. Artur Correia, realizador de cinema de animação, foi distinguido com o prémio a título póstumo.

Confira o palmarés completo dos Prémios Sophia 2018.

MELHOR FILME
VENCEDOR – “São Jorge”
– “A Fábrica de Nada”
– “Al Berto”
– “Fátima”

MELHOR REALIZADOR
VENCEDOR – Marco Martins (São Jorge)
– João Canijo (Fátima)
– João Botelho (Peregrinação)
– Pedro Pinho (A Fábrica de Nada)

MELHOR ATRIZ PRINCIPAL
VENCEDORA – Rita Blanco (Fátima)
– Carla Galvão (A Fábrica de Nada)
– Anabela Moreira (Fátima)
– Mariana Nunes (São Jorge)

MELHOR ATOR PRINCIPAL
VENCEDOR – Nuno Lopes (São Jorge)
– Miguel Borges (Uma Vida à Espera)
– Cláudio da Silva (Peregrinação)
– José Pimentão (Al Berto)

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA
VENCEDORA – Isabel Abreu (Uma Vida à Espera)
– Beatriz Batarda (São Jorge)
– Catarina Wallenstein (Peregrinação)
– Raquel Rocha Vieira (Al Berto)

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
VENCEDOR – José Raposo (São Jorge)
– Adriano Luz (São Jorge)
– João Villas-Boas (Al Berto)
– Duarte Grilo (Al Berto)

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM
VENCEDOR – “Nos Interstícios da Realidade ou o Cinema de António de Macedo”, de João Monteiro
– “Ama-San”, de Cláudia Varejão
– “Treblinka”, de Sérgio Tréfaut
– “Rosas de Ermera”, de Luís Filipe Rocha

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL
VENCEDOR – Ricardo Adolfo e Marco Martins (São Jorge)
– João Canijo (Fátima)
– Vicente Alves do Ó (Al Berto)
– Paulo Filipe Monteiro (Zeus)

MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO
VENCEDOR – Pedro Pinho, Luisa Homem, Leonor Noivo e Tiago Hespanha (A Fábrica de Nada)
– João Botelho adaptado do livro de Fernão Mendes Pinto (Peregrinação)
– David Machado e Tiago R. Santos (Índice Médio de Felicidade)
– Jorge António, Paulo Leite e Virgilio Almeida (A Ilha dos Cães)

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL
VENCEDOR – Rita Redshoes & The Legendary Tigerman (Ornamento e Crime)
– Rodrigo Leão (100 Metros)
– Hugo Leitão, Nuno Malo e Rafael Toral (São Jorge)
– Luís Bragança Gil e Daniel Bernardes (Peregrinação)

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
VENCEDORA – “Fim”, composição e interpretação Lúcia Moniz (Uma Vida à Espera)
– “Sementes do Impossível”, de Xutos & Pontapés (Índice Médio de Felicidade)
– “VOODOO”, composição de Rita Redshoes & The Legendary Tigerman e interpretação de Rita Redshoes (Ornamento e Crime)
– “Ribombar do Amor”, compositor e intérprete Jorge Prendas (Delírio Em Las Vedras)

MELHOR SOM
VENCEDOR – Pedro Melo, Elsa Ferreira e Branko Neskov (Al Berto)
– Olivier Blanc e Hugo Leitão (São Jorge)
– Francisco Veloso (Peregrinação)
– Elsa Ferreira, Olivier Hespel e Gérard Rousseau (Fátima)

MELHOR FOTOGRAFIA
VENCEDOR – Carlos Lopes (São Jorge)
– Luís Branquinho (Peregrinação)
– Rui Poças (Al Berto)
– Leonor Teles (Verão Danado)

MELHOR DIREÇÃO ARTÍSTICA
VENCEDOR – Wayne dos Santos (São Jorge)
– Joana Cardoso (Al Berto)
– João Torres (Zeus)
– Bruno Caldeira (A Ilha dos Cães)

MELHOR GUARDA ROUPA
VENCEDOR – Sílvia Grabowski (Zeus)
– Joana Veloso (Peregrinação)
– Joana Cardoso (Al Berto)
– Lucha D’Orey (O Divã de Estaline)

MELHOR MAQUILHAGEM E CABELOS
VENCEDOR – Rita Castro e Felipe Muiron (Peregrinação)
– Abigail Machado e Mário Leal (Al Berto)
– Djanira Cirilo da Cruz e Maria Almeida (São Jorge)
– Nuno Esteves ‘Blue’ e Mizé Silvestre (O Divã de Estaline)

MELHOR MONTAGEM
VENCEDOR – Cláudia Oliveira, Edgar Feldman, Luísa Homem (A Fábrica de Nada)
– Mariana Gaivão (São Jorge)
– João Braz (Peregrinação)
– Pedro Ribeiro, Pedro Marinho, Vasco Carvalho (Índice Médio de Felicidade)

MELHOR EFEITOS ESPECIAIS/CARACTERIZAÇÃO
VENCEDOR – Nuno Esteves ‘Blue (Peregrinação)
– Sara Menitra (Zeus)
– Alexandra Espinhal (A Ilha dos Cães)
– João Rapaz (Verão Danado)

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM
VENCEDORA – “O Homem Eterno”, de Luís Costa
– “António e Catarina”, de Cristina Hanes
– “Reis Do Sertão”, de Pablo Antonio
– “Où En Êtes-Vous, João Pedro Rodrigues?”, de João Pedro Rodrigues

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO
VENCEDORA – “A Gruta De Darwin”, de Joana Toste
– “Das Gavetas Nascem Sons”, de Vítor Hugo
– “Água Mole”, de Laura Gonçalves e Alexandra Ramires (Xá)
– “Tocadora”, de Joana Imaginário

MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO
VENCEDORA – “Coelho Mau”, de Carlos Conceição
– “Altas Cidades De Ossadas”, de João Salaviza
– “A Língua”, de Adriana Martins da Silva
– “Antes que a Noite Venha – Falas de Antígona”, de Joaquim Pavão

MELHOR SÉRIE/TELEFILME
VENCEDOR – “Madre Paula”
– “Vidago Palace”
– “A Criação”
– “A Família Ventura”

PRÉMIO SOPHIA ESTUDANTE
VENCEDOR – “Snooze”, de Dinis Leal Machado – ESMAD
– “A Clarabóia”, de Alícia Moreira – IPCA
– “Irís”, de Renato Arroyo e Francisco Ferreira – Universidade Lusófona
– “Blondes Make the Best Victims”, de Rita Ventura – ESAD

PRÉMIO SOPHIA CARREIRA
– Ana Lorena
– Lauro António
– Artur Correia

Artigos relacionados