“Sinais”: Arranca hoje o primeiro momento da programação do Doclisboa’20

Arranque da primeira fase do DocLisboa 2020

A partir desta quinta-feira, 22 de outubro e até ao dia 1 de novembro, vai decorrer o primeiro momento da programação do DocLisboa 2020: “Sinais“, uma edição que, devido à pandemia, só termina em março de 2021, após seis fases programáticas, um novo modelo que a organização considera fazer “parte da necessidade de potenciar os espaços públicos de encontro, a experiência coletiva da arte cinematográfica e a sua contribuição para a reconstrução e fortalecimento social.”

A sessão de abertura da “Sinais” está marcada para o Grande Auditório da Culturgest, às 21:30h, com a exibição de “Nheengatu – A Língua da Amazónia”, de José Barahona, que ao longo de uma viagem no alto Rio Negro, na Amazónia profunda, o realizador busca uma língua imposta aos índios pelos antigos colonizadores. Através desta língua misturada, o nheengatu, e dividindo a filmagem com a população local, o filme constrói-se no encontro de dois mundos.

“Mon Amour”, de David Teboul, “É Rocha e Rio, Negro Leo”, de Paula Gaitán, ” Guerra”, de José Oliveira e Marta Ramos, “Chelas nha Kau”, do colectivo Bataclan 1950 e Bagabaga Studios, e “Kubrick by Kubrick”, de Gregory Monro, estes dois últimos em estreia mundial, são os cinco filmes representativos da programação pensada para cada um dos momentos.

O país convidado desta edição é a Geórgia, com a retrospectiva “A Viagem Permanente – O Cinema Inquieto da Geórgia“, integrada no Nebulae, a vertente indústria do Doclisboa, que decorrerá exclusivamente nas plataformas online.

A programação desta primeira fase também inclui duas sessões especiais do Cinema de Urgência programadas pelo colectivo Mentuwajê Guardiões da Cultura e pela SOS Racismo, bem como o programa histórico do Corpo de Trabalho e Verdes Anos que estarão disponíveis na plataforma online de cinema documental DaFilms.com.

O segundo momento do Doclisboa’20, “Deslocações”, acontece de 5 a 11 de novembro, seguindo-se “Espaços de Intimidade”( 3 a 9 de dezembro); “Ficaram Tantas Histórias por Contar” ( 14 a 20 de janeiro); “Arquivos do Presente”( 4 a 10 de fevereiro); e “De Onde Venho, Para Onde Vou” ( 4 a 10 de março).

A programação completa pode ser consultada no site oficial do DocLisboa.

 

Artigos relacionados