“Super Natural”: Filme de Jorge Jácome venceu o Prémio Fipresci no Festival de Berlim

Depois de ter marcado presença em 2019 com a curta-metragem “Past Perfect”, o cineasta português Jorge Jácome regressou ao Festival de Cinema de Berlim para a estreia da sua primeira longa-metragem, “Super Natural“, e que lhe valeu o Prémio da Federação Internacional de Críticos de Cinema (Fipresci), uma distinção atribuída por um conjunto de críticos de cinema de todo o mundo.

O filme foi exibido na secção Fórum do festival, que decorre até 20 de fevereiro, um programa habitualmente destinado a produções mais experimentais ou que expandam as convenções sobre ficção e documentário, o filme terá uma última exibição no festival no sábado, no cinema CinemaxX5.

“‘Super Natural’ é um filme que fala e escuta, que interfere e procura quem está à sua frente. A sua vontade é a de sair da tela para ver e escutar quem o olha, mas também para ser cheirado e visto para lá do que se vê. É a saída do corpo, de todos os corpos, sobretudo do próprio. É como um super-poder e neste movimento, concentra-se na imagem, uma existência sensível com a qual se pretende falar. É por isso que este filme interpela e ambiciona ativar um efeito, um relaxamento hipotético, uma experiência sensorial para quem está fora da tela como se nela estivesse”, lê-se na descrição do filme.

Coescrito por Jácome, André Teodósio e José Maria Vieira Mendes, “Super Natural” é um objeto artístico protagonizado por algumas das pessoas portadoras de deficiência que fazem parte da Dançando com a Diferença, atuando em espaços naturais e urbanos exuberantes da ilha da Madeira.

“Super Natural” é uma produção da Ukbar Filmes em associação com a Dançando com a Diferença (Funchal) e o Teatro Praga (Lisboa). Assista ao trailer.

Artigos relacionados