“Tu Me Manques”: Bolívia escolheu o polémico drama gay para a corrida aos Óscares

Tu Me Manques foi o filme escolhido pelafilme da Bolivia para os Óscares

O comité de seleção da Bolívia já escolheu o seu candidato para a corrida ao Óscar de Melhor Filme Internacional. Segundo o Deadline, o representante boliviano estará a cargo do polémico drama gay “Tu Me Manques”, filme escrito e realizado por Rodrigo Bellott, que conta no protagonismo com a espanhola Rossy de Palma, o argentino Oscar Martínez e Fernando Barbosa.

O filme de Bellot foi o escolhido de uma pré-seleção onde constavam outros 11 títulos, dando assim a possibilidade do cineasta voltar a tentar uma nomeação nesta categoria, depois da tentativa falhada com a sua longa-metragem de estreia “Dependencia Sexual (2003)”, filme que conquistou o Prémio Fipresci em Locarno e foi exibido em mais de 65 festivais internacionais de cinema, tornando-se também a segunda submissão da Bolívia aos Óscares, depois de uma ausência de oito anos.

A trama do filme segue Jorge, um homem que após o suicídio do seu filho, viaja de Santa Cruz para Nova Iorque em busca de respostas e para confrontar o namorado Sebastian (Barbosa), a quem culpa pela perda sofrida pela sua família. Enquanto cada um confronta a sua nova realidade de uma maneira radicalmente diferente, Jorge(Martinez), é incapaz de entender o estilo de vida gay secreto do filho e o namorado encena uma peça para homenagear o seu amor perdido.

“Ao apoiar o meu filme, apesar da controvérsia, a Bolívia provou que é um país progressista e que, no final, a arte e o cinema prevalecerão”, disse Bellott sobre o seu quarto filme que foi recebido por críticas positivas e insultos homofóbicos desde que se estreou nos cinemas bolivianos a 15 de agosto. Uns dias antes, ganhou o Prémio do Grande Júri de Melhor Guião no Outfest Film Festival, em Los Angeles, onde teve a sua estreia mundial.

“Tu Me Manques” é a adaptação cinematográfica de uma peça teatral de 2015 de Bellott, que originalmente deveria estar em cena só por uma noite, mas que foi estendida por quatro meses devido à demanda popular. A história é inspirada no namorado de Bellott, que se matou por medo de expor a sua sexualidade. Bellott lançará em breve uma fundação nacional numa tentativa de capacitar jovens e sobreviventes de suicídio através da educação e das artes.

A 13 de janeiro de 2020, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA irá anunciar os finalistas para a corrida à estatueta dourada de Melhor Filme Internacional, juntamente com outras categorias. Os vencedores serão conhecidos na cerimónia da 92ª edição dos Óscares que se realiza a 9 de fevereiro do próximo ano.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *