Vencedores do 40º Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto

Vencedores do Fantasporto 2020

A comédia fantástica japonesa “Ghostmaster”, de Paul Young, foi o grande vencedora da 40ª edição do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, um evento que decorreu de 28 de fevereiro a 7 de março, e em que as produções e protagonistas oriundos da Ásia açambarcaram a maioria das distinções

De acordo com a sinopse divulgada pela organização, a trama do filme segue uma equipa de filmagens em acção. O assistente de realização é constantemente humilhado por todos. Mas o que estes não sabem é que ele escreveu o argumento de um filme com forças maléficas. Muito humor, alguma influência da Manga japonesa e um ambiente delirante que lembram os primeiros filmes gore de Peter Jackson.”

O Prémio Especial do Júri foi para “Dancing Mary”, filme do japonês Sabu, vencedor do Fantas por duas vezes, e a produção filipina “Clarita”, de Roderick Cabrido, arrecadou o prémio de Melhor Realizador por “Clarita”. Nas categorias de interpretação, o prémio de Melhor Atriz foi para Christine Reyes, por “Untrue”, enquanto o de Melhor Ator foi atribuído a Leif Edlund, por “Koko-di Koko-da”, uma coprodução da Suécia e da Dinamarca.

Ainda na secção oficial, o júri decidiu atribuir uma Menção Especial ao filme coreano “Fallen”, de Lee Jung-Sub, o prémio de Melhor Argumento a Chris Bavota e Lee Paula Springer, realizadores do filme canadiano “Dead Dicks”, o de Melhor Efeitos Especiais para “The Soul Conductor”, de Ilya Maximov, e para Espanha foi o galardão de Melhor Curta-Metragem, o filme “”Moros en la Costa”, de Damiá Serra Cauchetiez.

O Prémio do Cinema Português foi parar às mãos do realizador João Estrada pelo filme “Bunker”, e “Por Detrás da Moeda”, documentário de Luis Moya, recebeu do júri uma menção, filme que viria a receber o Prémio do Público. O Prémio destinado à Melhor Escola de Cinema foi para a EPI/ETIC e o Prémio de Criatividade, destinado a filme de escola, foi para “Leo”, de Maria Eduarda Rodrigues.

O Prémio Manoel de Oliveira da Semana dos Realizadores foi para “Willow”, do macedónio Milcho Manchevski, e o Prémio Especial do Júri para “Una Chica Invisible”, de Francisco Bendomir. O húngaro Béla Bagóti ganhou o Prémio de Melhor Realizador e Melhor Argumento com “Valan – Valley of Angels”, filme que brevemente tem estreia comercial em Portugal. A coreana Yeong-Ae Lee recebeu o prémio de Melhor Atriz por “Bring Me Home” e Cem Bender o de Melhor Ator pelo filme turco “Omar and Us”.

Já o Grande Prémio Orient Express foi para “Bring Me Home”, de Seung-Woo Kim, e “Detention”, de John HSU, o primeiro filme que o festival exibe a concurso vindo de Taiwan, foi o vencedor do Prémio Especial do Juri.

Artigos relacionados

Contribua com a sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *