Prémios Sophia 2015: Academia Portuguesa de Cinema divulgou os nomeados

premios Sophia 2015

Já são conhecidos os nomeados para as 20 categorias dos Prémios Sophia 2015, instituidos pela Academia Portuguesa de Cinema.

A cerimónia decorre no próximo dia 2 de Abril, num espetáculo a realizar no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, em que os cineastas da Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas homenageiam, com os “Prémios Sophia”, as melhores prestações dos seus pares, nos filmes estreados em 2014 e que vai ter honras de transmissão televisiva, através da RTP 2.

A lista de nomeados é a seguinte:

MELHOR FILME
A Vida Invisível
O Grande Kilapy
Os Gatos não têm Vertigens
Os Maias – Cenas da Vida Romântica

MELHOR ATOR PRINCIPAL
Filipe Duarte -‘A Vida Invisível’
Graciano Dias- ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’
João Jesus – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
João Lagarto – ‘O Grande Kilapy’

MELHOR ATRIZ PRINCIPAL
Leonor Seixas- ‘Sei Lá’
Maria do Céu Guerra – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Maria João Pinho – ‘A Vida Invisível’
Sara Barros Leitão – ‘Pecado Fatal’

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO
João Perry – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’
Manuel Wiborg – ‘O Grande Kilapy’
Nicolau Breyner – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Pedro Inês – ‘Os Maias’

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA
Fernanda Serrano – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Maria João Pinho – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’
São José Correia – ‘O Grande Kilapy’
Silvia Rizzo – ‘O Grande Kilapy’

MELHOR REALIZADOR
Zézé Gamboa- ‘O Grande Kilapy’
Vítor Gonçalves – ‘A Vida Invisível’
António-Pedro Vasconcelos por–”Os Gatos não têm Vertigens”
João Botelho por–”Os Maias”

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL
Luís Alvarães e Luís Carlos Patraquim – ‘O Grande Kilapy’
Vítor Gonçalves, Jorge Braz, Mónica Santana Baptista – ‘A Vida Invisível’
Tiago Santos – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira – ‘Virados do Avesso’

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM LONGA-METRAGEM
Guerra ou Paz
Fado Camané
E Agora? Lembra-me
Alentejo Alentejo

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
‘À Beira Da Europa’ – Bernardo Cabral
‘Le Boudin’ – Salomé Lamas
‘Luz Clara’ – Vasco Vieira e Miguel Lima
‘O Meu Outro País’ – Solveig Nordlund

MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO
’20 Desenhos e Um Abraço’ – José Miguel Ribeiro
‘Canto dos 4 Caminhos’ – Nuno Amorim
‘Foi o Fio’ – Patrícia Figueiredo
‘Fuligem’ – David Doutel

MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO
‘Cinema’ – Rodrigo Areias;
‘Coro dos Amantes’ – Tiago Guedes;
‘Encontradouro’ – Afonso Pimentel;
‘Miami’ – Simão Cayatte;
‘Os Sonâmbulos’ – Patrick Mendes;

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
‘Fora da Lei’ – Criança Queimada – (Nirvana)
‘Unforgettable’ – Daniela Galbin – (Pecado Fatal)
‘Clandestinos do Amor’ – Ana Moura – (Os Gatos não têm Vertigens)
‘Seta’ – André Sardet e Mayra Andrade – (Sei Lá)

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL
Nuno Maló – ‘Doce Amargo Amor’
Filipe Coutinho – ‘Pecado Fatal’
Luís Cília – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
José M. Afonso – ‘Sei Lá’

MELHOR SOM
Hugo Leitão e Branko Neskov – ‘O Grande Kilapy’
Vasco Pedroso, Branko Neskov e Elsa Ferreira – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Pedro Melo e Branko Neskov – ‘Getúlio’
Jorge Saldanha – ‘Os Maias’

MELHOR MONTAGEM
Rodrigo Pereira, Rui Alexandre Santos – ‘A Vida Invisível’
Pedro Ribeiro – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Pedro Ribeiro – ‘Sei Lá’
João Braz – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’

MELHOR MAQUILHAGEM E CABELOS
Sano de Perpessac – ‘O Grande Kilapy’
Susana Correia e Fátima Vieira – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Iris Peleira, Mário Leal – ‘Variações de Casanova’
Sano de Perpessac – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’

MELHOR GUARDA-ROUPA
Teresa Campos – ‘O Grande Kilapy’
Os Burgueses – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Lucha d’Orey – ‘Variações de Casanova’
Silvia Grabowski – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’

MELHORA CARACTERIZAÇÃO/EFEITOS ESPECIAIS
Sano de Perpessac – ‘O Grande Kilapy’
Sandra Pinto – ‘Eclipse em Portugal’
Iris Peleira – ‘Cadências Obstinadas’
Sano de Perpessac – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’

MELHOR DIRECÇÃO ARTÍSTICA
João Torres – ‘O Grande Kilapy’
João Torres – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
Isabel Branco – ‘Variações de Casanova’
Silvia Grabowski – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’

MELHOR DIRECÇÃO DE FOTOGRAFIA
Leonardo Simões – ‘A Vida Invisível’
José António Loureiro – ‘Os Gatos não têm Vertigens’
André Szankowski – ‘Cadências Obstinadas’
João Ribeiro – ‘Os Maias – Cenas da Vida Romântica’

Artigos relacionados